Nathalie Granger

27 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

Nathalie Granger. Direção e roteiro: Marguerite Duras. Produção: Jean-Michel Carré, Luc Moullet. Fotografia: Ghislain Cloquet. Edição: Nicole Lubtchansky. Elenco: Jeanne Moreau, Lucia Bosé, Gérard Depardieu, Luce Garcia-Ville, Valerie Mascolo e outros.
― 1972, França. P&B, 1h 23min. Em francês, com legendas em português.

Uma tarde na vida de duas mulheres, fechadas em casa e em silêncio. Uma delas, Isabelle Granger, está preocupada com o comportamento violento da filha Nathalie. Do mundo exterior surgem ecos via rádio (a presença de um par de assassinos na região) e, mais tarde, um vendedor de máquinas de lavar. Na singularidade narrativa de Duras, sobressaem uma poderosa impressão de um tempo suspenso, parado, e uma angústia contida.

 

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Críticas e comentários

Anúncios

A Baía dos Anjos

20 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La Baie des Anges (A Baía dos Anjos). Direção e roteiro: Jacques Demy. Produção: Paul-Edmond Decharme. Música: Michel Legrand. Fotografia: Jean Rabier. Edição: Anne-Marie Cotret. Elenco: Jeanne Moreau, Claude Mann, Paul Guers, Henri Nassiet, André Certes e outros.
― 1963, França. P&B, 1h 30min. Em francês, com legendas em português.

Um empregado de um banco é levado ao cassino por um colega e acaba vencendo várias partidas. Encorajado por esta ocorrência, parte de férias para Nice (França) para jogar e conhece uma jovem dama que sacrificou toda a sua existência à paixão do jogo. Juntos perdem todo o seu dinheiro, e o herói coloca a mulher entre a escolha do amor a as mesas de aposta

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Falstaff : o toque da meia-noite

13 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

 

Falstaff: chimes at midnight (Falstaff: o toque da meia-noite). Direção: Orson Welles. Produção: Ángel Escolano, Emiliano Piedra, Harry Saltzman, Alessandro Tasca. Roteiro: Orson Welles, baseado em peças de William Shakespeare (1564–1616) e nas crônicas de Raphael Holinshed (1529–1580). Música: Angelo Francesco Lavagnino. Fotografia: Edmond Richard. Edição: Elena Jaumandreu, Frederick Muller, Peter Parasheles. Design de produção: Mariano Erdoiza. Decoração: José Antonio de la Guerra. Figurino: Orson Welles. Elenco: Orson Welles, Jeanne Moreau, Margaret Rutherford, John Gielgud, Marina Vlady e outros.
― 1965, Suiça, França, Espanha. P&B, 1h 59min. Em inglês, com legendas em português.

Inglaterra, início do século XV. Na iminência de uma guerra civil, o já idoso e doente rei Henrique IV luta tanto para manter seu reinado quanto contra os costumes boêmios que seu filho Hal, o futuro rei Henrique V, leva ao lado de Falstaff, um velho beberrão dono de hábitos desregrados.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

A noite americana

A noite americana (François Truffaut, 1973)

6 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La nuit américaine (A noite americana). Direção: François Truffaut. Produção: Marcel Berbert. Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard, Suzanne Schiffman. Música: Georges Delerue. Fotografia: Pierre-William Glenn. Edição: Martine Barraqué, Yann Dedet. Design de produção, direção de arte: Damien Lanfranchi. Figurino: Monique Dury. Elenco: Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Dani, Alexandra Stewart, Jean-Pierre Aumont, Jean Champion, Jean-Pierre Léaud, François Truffaut, Nike Arrighi e outros.
― 1973, França, Itália. 1h 55min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Na França começam as filmagens do longa Je vous présente Pamela, que conta a história de uma jovem inglesa que troca o marido francês pelo sogro. Ferrand (François Truffaut) é o diretor, e tem que lidar com os mais diversos problemas que aparecem nos sets de filmagens, desde a depressão de um ator até o inusitado gato que não consegue atuar. Uma encantadora homenagem à arte de fazer cinema.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 A Noite Americana é um dos mais humanos e
interessantes filmes já realizados sobre o cinema.

Luiz Santiago

Críticas e comentários

Jeanne Moreau (1928–2017)

No mês de setembro, o Cine-Fórum apresenta três filmes com Jeanne Moreau (1928–2017), falecida recentemente. O filme A noite americana, de François Truffaut, abre a homenagem que prestamos à atriz e diretora Jeanne Moreau, considerada a grande dama do cinema francês.

 

Setembro

6 – A noite americana (François Truffaut, 1973)
13 – Falstaff (Orson Welles, 1965)
20 – A Baía dos Anjos (Jacques Demy, 1963)
27 – Nathalie Granger (Marguerite Duras, 1972)

 

Em setembro as sessões serão às
quartas-feiras, sempre às 19:30.

Os imperdoáveis

29 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Unforgiven (Os imperdoáveis). Direção e produção: Clint Eastwood. Roteiro: David Webb Peoples. Música: Lennie Niehaus. Fotografia: Jack N. Green. Edição: Joel Cox. Elenco: Clint Eastwood, Gene Hackman, Morgan Freeman, Richard Harris, Jaimz Woolvett e outros.
― 1992, Estados Unidos. 2h 11min. Em inglês, com legendas em português.

Wyoming (EUA), séc. XIX. Um homem desfigura a face de uma prostituta com uma faca. As outras prostitutas oferecem um prêmio para quem caçar e matar o agressor de sua colega. Pistoleiros aposentados aceitam realizar esse último trabalho. Nesse filme desmitificador do Velho Oeste, a violência não é gloriosa e se manifesta como reação da insegurança masculina. As mulheres não são vistas como estereótipos e os antigos heróis celebrizados pela literatura popular são mostrados como ineptos ou farsantes.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Júlia


22 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Júlia (Julia). Direção: Fred Zinnemann. Produção: Richard Roth. Roteiro: Alvin Sargent, baseado no romance Pentimento: A book of portraits (1973), de Lillian Hellman (1905-1984). Música: Georges Delerue. Fotografia: Douglas Slocombe. Edição: Marcel Durham, Walter Murch. Elenco: Jane Fonda, Vanessa Redgrave, Jason Robards, Meryl Streep, Maximilian Schell e outros.
― 1977, Estados Unidos. 1h 57min. Em inglês, francês, russo, alemão, com legendas em português.

Duas amigas de infância percorrem caminhos diferentes: a mais rica, Julia, foi estudar em Viena, e a outra, Lillian Hellman, tornou-se escritora, e quando alcança a fama é convidada a ir para a União Soviética. Julia, que vive na Europa, pede-lhe que contrabandeie dinheiro através da Alemanha para ajudar as vítimas do regime nazista. A missão apresentava perigo, pois Lillian era uma intelectual judia que rumava para a Rússia comunista. As duas têm um rápido encontro e a escritora toma conhecimento que Julia tinha uma filha. Logo após regressar para a América do Norte, Lillian toma conhecimento que sua amiga Julia fora assassinada. Ela então viaja para a Inglaterra, na esperança de encontrar a filha de Julia, a quem tinha prometido cuidar.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 Críticas e comentários