Tão longe, tão perto!


25 DE JULHO
terça-feira − 19h30

In weiter Ferne, so nah! (Tão longe, tão perto!). Direção: Wim Wenders. Produção: Wim Wenders Ulrich Felsberg. Roteiro: Wim Wenders, Ulrich Zieger, Richard Reitinger. Música: Laurent Petitgand, Graeme Revell. Fotografia: Jürgen Jürges. Edição: Peter Przygodda. Design de produção: Albrecht Konrad. Direção de arte: Martin Schreiber. Figurino: Esther Walz. Elenco: Otto Sander, Nastassja Kinski, Peter Falk, Bruno Ganz, Horst Buchholz e outros.
― 1993, Alemanha. 2h 24min. Em alemão, francês, inglês, italiano, russo, com legendas em português.

Quando um anjo ousa cruzar a linha, ele chega a cidade de Berlim passando pela dura realidade do pós-Guerra Fria e acaba engajado em um combate fatal para proteger os mortais que ele ama.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 

 Críticas e comentários

Underground

18 DE JULHO
terça-feira − 19h30

Underground (Underground: mentiras de guerra). Direção: Emir Kusturica. Produção: Pierre Spengler. Roteiro: Dusan Kovacevic, Emir Kusturica. Música: Goran Bregovic. Fotografia: Vilko Filac. Edição: Branka Ceperac. Elenco: Predrag ‘Miki’ Manojlovic, Lazar Ristovski, Mirjana Jokovic, Slavko Stimac, Ernst Stötzner e outros.
― 1995, República Federal da Iugoslávia, França, Alemanha, Bulgária, República Checa, Hungria. 2h 50min Em sérvio, alemão, francês, inglês, russo, com legendas em português.

Durante a Segunda Guerra Mundial, num esconderijo subterrâneo em Belgrado, dois amigos fazem fortuna utilizando refugiados em um abrigo subterrâneo para produzir armas que vendem no mercado negro. Marko é um jovem líder de uma banda musical, e participa do submundo do tráfico de armas. Junto com seu amigo Blaky, Marko passa a fornecer armas aos membros da resistência e em pouco tempo conseguem enriquecer. No final do conflito, Marko continua iludindo os refugiados por mais quinze anos, para explorá-los e assim tornando-se mais ricos.

Não recomendado para menores de 16 anos

Sólo le pido a Dios
Que la guerra no me sea indiferente
Es un monstruo grande y pisa fuerte
Toda la pobre inocencia de la gente

León Gieco

 

Críticas e comentários

A religiosa

13 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

La religieuse (A religiosa). Direção: Guillaume Nicloux. Produção: Benoît Quainon. Roteiro: Guillaume Nicloux, Jérôme Beaujour, baseado no romance La Religieuse, de Denis Diderot (1713-1784). Música: Max Richter. Fotografia: Yves Cape. Edição: Guy Lecorne. Elenco: Pauline Etienne, Isabelle Huppert, Louise Bourgoin, Françoise Lebrun, Agathe Bonitzer, Gilles Cohen e outros.
― 2013, França, Alemanha, Bélgica. 1h 52min. Em francês, latim, com legendas em português. 

França, 1760. Nascida em uma família burguesa, Suzanne Simonin é uma jovem com um talento natural para música – e que aspira a viver na sociedade. Ela fica completamente atordoada quando seus pais a enviam para um convento, contra sua vontade. Adaptado do romance póstumo de Diderot, A Religiosa mostra a trajetória de uma mulher tentando resistir a valores religiosos impostos e revela a desumanização da vida de clausura, na França do século XVIII.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

Versão de 1966:

La religieuse (A religiosa). Direção: Jacques Rivette. Produção: Georges de Beauregard. Roteiro: Jean Gruault, Jacques Rivette, baseado no romace homônimo de Denis Diderot. Elenco: Anna Karina, Liselotte Pulver, Micheline Presle. ― 1966, França. 2h 15min.

Todos contra Zucker!

2 DE MAIO
terça-feira − 19h30


Alles auf Zucker! (Todos contra Zucker). Direção: Dani Levy. Produção: Manuela Stehr. Roteiro: Dani Levy, Holger Franke. Música: Niki Reiser. Fotografia: Carl-Friedrich Koschnick. Edição: Elena Bromund. Elenco: Henry Hübchen, Hannelore Elsner, Udo Samel, Golda Tencer, Steffen Groth e outros.
― Alemanha, 2004. 1h 35min. Em alemão, com legendas em português.

Jack e Samuel, dois irmãos judeus, precisam se reconciliar para poder receber a herança da mãe. Jack Zucker um jornalista da ex-Alemanha Oriental, sempre está no limite da lei; depois da queda do Muro, sua vida entrou numa espiral de decadência tanto do lado financeiro como do pessoal, há muito está distante das tradições e práticas religiosas. Samuel, judeu observante, e que morou do outro lado do Muro, na Alemanha Ocidental. Sempre brigaram por tudo, e até mesmo porque um tem simpatias comunistas e outro é ferrenho capitalista. Pararam de se falar e assim seguiriam, se não fosse o falecimento da mãe e o testamento por ela deixado. Eles só teriam direito à herança se convivessem durante algum tempo e acertassem suas diferenças. Tudo isso sob a supervisão de um rabino.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Vocês ainda não viram nada!

vous-n-Vocês ainda não viram nada! (Alain Resnais, 2012) avez-encore-rien-vu-26-09-2012-1-g

7  DE MARÇO
terça-feira − 19h30

Vous n’avez encore rien vu (Vocês ainda não viram nada!). Direção: Alain Resnais (1922 – 2014). Produção: Jean-Louis Livi. Roteiro: Alain Resnais, Laurent Herbiet, a partir da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh (1910 – 1987). Música: Mark Snow. Fotografia: Eric Gautier. Edição: Hervé de Luze; Sylvie Lager. Chef décorateur: Jacques Saulnier (1928 – 2014). Direção de arte: Matthieu Beutter. Figurino: Jackie Budin. Elenco: Lambert Wilson, Michel Piccoli, Mathieu Amalric, Pierre Arditi, Sabine Azéma e outros.
― França, Alemanha, 2012. 1h 55min. Em francês, com legendas em português.

Após sua morte, Antoine, famoso dramaturgo, deixa em testamento uma missão para alguns de seus mais próximos – eles devem aprovar ou reprovar uma montagem de sua peça Eurídice feita por uma jovem trupe de teatro.Três gerações de atores entrelaçam suas vozes e emoções sobre o mesmo texto. Adaptação livre da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Pecado da carne

Pecado da carne (Haim Tabakman, 2009)
28 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

Einayim Petukhoth / Eyes wide open (Pecado da carne). Direção: Haim Tabakman. Roteiro: Merav Doster. Elenco: Zohar Shtrauss, Ran Danker, Tinkerbell, Tzahi Grad, Isaac Sharry e outros.
― Israel, Alemanha, França, 2009. 1h 31min. Em hebraico, yiddish, alemão, francês, inglês, com legendas em português.

Aaron, um respeitável açougueiro da comunidade ortodoxa judaica em Jerusalém, é casado com Rivka e é um dedicado pai de quatro filhos. Um dia, ele encontra Ezri, um bonito estudante de 22 anos, e logo se apaixona por ele. Ele então começa a negligenciar a sua vida familiar e na comunidade, varrido por seu amor e desejo por Ezri. Mas a culpa, o tormento e a pressão dos religiosos irá angustiá-lo, levando-o a tomar uma decisão radical.Aaron, um respeitável açougueiro da comunidade ortodoxa judaica em Jerusalém, é casado com Rivka e é um dedicado pai de quatro filhos. Um dia, ele encontra Ezri, um bonito estudante de 22 anos, e logo se apaixona por ele. Ele então começa a negligenciar a sua vida familiar e na comunidade, varrido por seu amor e desejo por Ezri. Mas a culpa, o tormento e a pressão dos religiosos irá angustiá-lo, levando-o a tomar uma decisão radical

Não recomendado para menores de 16 anos

 Críticas e comentários

Valsa com Bashir

Valsa com Bashir (Ari Folman, 2008)

No dia 14 de julho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme de animação Valsa com Bashir, dirigido pelo cineasta israelense Ari Folman.

A exibição do filme Valsa com Bashir insere-se no pequeno festival de animação do mês de julho, no Cine-Fórum CCB.

Sinopse

Folman, um veterano da Guerra do Líbano de 1982, busca recuperar as suas memórias perdidas dos eventos que marcaram o massacre de Sabra e Shatila. O filme retrata de forma sensível o envolvimento do Estado de Israel no massacre, resgatando a participação dos soldados que lutaram nesta guerra. Valsa com Bashir é o resultado da busca de Folman para tentar reconstituir sua memória e superar traumas. O filme é um documentário em animação, no qual as cenas são desenhadas a partir de depoimentos reais gravados por Folman em conversas com camaradas que combateram a seu lado no exército israelense, muitos deles igualmente traumatizados.

Vals Im Bashir (Valsa com Bashir). Israel, França, Alemanha, Estados Unidos, Finlândia, Suíça, Bélgica, Austrália: 2008. Direção e roteiro: Ari Folman. Vozes: Ari Folman, Ori Sivan, Ronny Dayag, Shmuel Frenkel, Zahava Solomon e outros. 90 min, em hebraico, árabe, alemão, inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 16 anos