Como eu festejei o fim do mundo

Como eu festejei o fim do mundo (Cãtãlin Mitulescu, 2006)

Cum mi-am petrecut sfârsitul lumii (Como eu festejei o fim do mundo). Direção: Cãtãlin Mitulescu. Roteiro: Cãtãlin Mitulescu, Andreea Valean. Música: Alexander Balanescu. Fotografia: Marius Panduru. Edição: Cristina Ionescu. Elenco: Dorotheea Petre, Timotei Duma, Ioan Albu, Sergiu Anghel, Adrian Bulboaca e outros.
― 2006, Romênia, França. 1h 46min. Em romeno.

Os irmãos, Eva, de 17 anos, e Lilu, de 7, vivem em Bucareste durante os últimos anos do regime comunista. Depois que Eva quebra acidentalmente um busto do ditador Nicolae Ceausescu e é mandada para colégio interno, seu irmão planeja vingar-se.

[ficha técnica IMDB]

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 

Críticas e comentários

Leolo… porque eu sonho…

16 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Léolo (Leolo… porque eu sonho…). Direção e roteiro: Jean-Claude Lauzon (1953–1997). Produção: Aimée Danis, Lyse Lafontaine. Fotografia: Guy Dufaux. Edição: Michel Arcand. Elenco: Maxime Collin, Gilbert Sicotte, Ginette Reno, Denys Arcand, Julien Guiomar e outros.
― 1992, Canadá, França. 1h 47min. Em francês, com legendas em português.

Bairro operário de Montréal, nos anos 1950. Em uma família pobre, uma loucura hereditária que vem do avô e passa pelo pai atinge inexorável as quatro crianças da família. Léolo, o caçula, tenta escapar, refugiando-se na fantasia. A partir de sua fantasia onde sua mãe é fertilizada por um tomate portador do esperma de um camponês da Sicília, Léolo nega a nacionalidade quebequense e se declara italiano. Mergulhado em seu próprio mundo de fantasias, o menino tenta provar que não está destinado à loucura.

« Parce que moi je rêve,
moi je ne le suis pas. »

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

Nathalie Granger

27 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

Nathalie Granger. Direção e roteiro: Marguerite Duras. Produção: Jean-Michel Carré, Luc Moullet. Fotografia: Ghislain Cloquet. Edição: Nicole Lubtchansky. Elenco: Jeanne Moreau, Lucia Bosé, Gérard Depardieu, Luce Garcia-Ville, Valerie Mascolo e outros.
― 1972, França. P&B, 1h 23min. Em francês, com legendas em português.

Uma tarde na vida de duas mulheres, fechadas em casa e em silêncio. Uma delas, Isabelle Granger, está preocupada com o comportamento violento da filha Nathalie. Do mundo exterior surgem ecos via rádio (a presença de um par de assassinos na região) e, mais tarde, um vendedor de máquinas de lavar. Na singularidade narrativa de Duras, sobressaem uma poderosa impressão de um tempo suspenso, parado, e uma angústia contida.

 

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Críticas e comentários

O que eu mais desejo

O que eu mais desejo (Hirokazu Koreeda, 2011)
28 DE MARÇO
terça-feira − 19h30

奇跡 [Kiseki] (O que eu mais desejo). Direção e roteiro: Hirokazu Koreeda. Elenco: Hiroshi Abe, Masami Nagasawa, Joe Odagiri, Kirin Kiki, Kyara Uchida e outros.
― Japão, 2011. Cor, 2h 8min. Em japonês, com legendas em português.

No Japão, na ilha de Kyushu, dois irmãos vivem separados após o divórcio de seus pais. O mais velho, de 12 anos mora com sua mãe no sul da ilha e seu irmão mais novo, com o pai, no norte da ilha. Embora tenham muitos desejos, o que eles realmente querem é voltar à família que tinham, estar juntos novamente. E vão usar de diversas artimanhas para consegui-lo.

Livre para todos os públicos

 

 Críticas e comentários

O que aconteceu com Baby Jane?

O que aconteceu com Baby Jane (Robert Aldrich, 1962)
10 DE MAIO
terça-feira − 19h30

What Ever Happened to Baby Jane? (O que aconteceu com Baby Jane?). Direção: Robert Aldrich. Produção: Kenneth Hyman, Robert Aldrich. Roteiro: Lukas Heller, baseado no romance What ever happened to Baby Jane?, de Henry Farrell (1920-2006). Música: Frank De Vol. Fotografia: Ernest Haller. Edição: Michael Luciano. Elenco: Bette Davis, Joan Crawford, Victor Buono, Wesley Addy, Julie Allred e outros.
― Estados Unidos, 1962. P&B, 2h 14min. Em inglês, com legendas em português.

Jane Hudson é uma atriz que, quando criança, ficou famosa e conhecida como Baby Jane. No ostracismo, já adulta, vive reclusa com sua irmã Blanche.

Não recomendado para menores de 16 anos

 

Críticas e comentários

A criança

A criança (Jean-Pierre Dardenne e Luc Dardenne, 2005)
8 MARÇO
terça-feira − 19h30

L’enfant (A criança). Direção: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne. Produção: Luc Dardenne Jean-Pierre Dardenne, Denis Freyd; Les Films du Fleuve. Roteiro: Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne. Elenco: Jérémie Renier, Déborah François, Jérémie Segard, Fabrizio Rongione, Olivier Gourmet.
― Bélgica, França, 2005. Cor, 95 min. Em francês, com legendas em português.

Sonia, 18 anos, acabou de dar à luz um menino. Bruno, o pai, com 20 anos de idade vive de pequenos roubos cometidos por ele e seus comparsas adolescentes. Os dois veem de maneira bem diferente o significado da chegada desta criança, e os atos de Bruno em relação ao filho colocarão o casal diante de sérios dilemas sobre suas existências.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Os sinos de Santa Maria

 Os Sinos de Santa Maria (1945)

No dia 8 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Os sinos de Santa Maria, dirigido pelo cineasta estadunidense Leo McCarey (1896–1969).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

Padre Chuck O’Malley é enviado ao Colégio Santa Maria, dirigido por freiras, a fim de substituir o antigo pároco e ajudar a recuperar a instituição que se acha quase falida. O filme narra o relacionamento entre a Madre Mary Benedict, a superiora das religiosas do colégio, e o novo pároco, principalmente no que tange às diferenças de opiniões em relação à melhor forma de educar seus alunos.

The Bells of St. Mary’s (Os sinos de Santa Maria). Estados Unidos: 1945. Direção: Leo Mccarey. Roteiro: Dudley Nichols, Leo McCarey. Elenco: Bing Crosby, Ingrid Bergman, Henry Travers, William Gargan, Ruth Donnelly e outros. Música: Robert Emmett; Dolan. Diretor de fotografia: George Barnes. Edição: Harry Marker. Direção de arte: William Flannery; Albert S. D’Agostino. Figurino: Edith Head. 126 min, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Comentários e críticas