Cinema, aspirinas e urubus

Cinema, aspirinas e urubus (Marcelo Gomes, 2005)

Cinema, aspirinas e urubus. Direção: Marcelo Gomes. Produção: Maria Ionescu. Roteiro: Karim Aïnouz, Paulo Caldas, Marcelo Gomes, João Miguel. Música: Tomaz Alves Souza. Fotografia: Mauro Pinheiro Jr. Edição: Karen Harley. Design de produção: Marcos Pedroso. Elenco: João Miguel, Peter Ketnath, Madalena Accioly, Jeane Alves, Veronica Cavalcanti e outros. ― 2005, Brasil. 1h 39min. Em português, alemão. Classificação indicativa: 14 anos.

Em 1942, no meio do sertão nordestino, dois homens se encontram: Johann, um alemão que fugiu da Guerra, e Ranulpho, um brasileiro que quer escapar da seca que assola a região. Viajando de povoado em povoado, eles exibem filmes para pessoas que já haviam conhecido o cinema, para vender um remédio ‘milagroso’. Continuando a cruzar as estradas empoeiradas de um sertão arcaico, eles buscam novos horizontes em suas vidas. Nessa jornada, os dois aprendem a respeitar as diferenças e surge entre eles uma amizade incomum, mas que marcará suas vidas para sempre. .

Ficha técnica: [Cinemateca Brasileira] [IMDB]

Comentários e críticas

A guerra dos botões (2011)

La guerre des boutons (Yann Samuell, 2011)

No dia 25 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A guerra dos botões (2011), dirigido pelo cineasta francês Yann Samuell.

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud (1882-1915). Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot, Alain Chabat, Vincent Bres e outros. Música: Klaus Badelt. Fotografia: Julien Hirsch. Edição: Sylvie Landra. 109 min, em francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Comentários e críticas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru. 90 min, P&B, em francês.

Hiroshima, meu amor

Hiroshima, mon amour (Alain Resnais, 1959)

No dia 2 de dezembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Hiroshima, meu amor, dirigido pelo cineasta francês Alain Resnais (1922–2014).

Sinopse

Durante sua participação num filme sobre a paz, rodado em Hiroshima, uma atriz francesa tem uma aventura amorosa com um arquiteto japonês, o que reaviva nela lembranças de uma trágica paixão durante a ocupação nazista na França. Entre o passado de guerra e o presente de incertezas, ele e ela tentam tornar imortal este encontro fortuito, através da mistura de tempos, recordações e corpos.

Hiroshima, Mon Amour (Hiroshima, meu amor). França, Japão: 1959, 90 min, P&B, em francês, inglês, japonês, legendado em português. Direção: Alain Resnais. Roteiro: Marguerite Duras. Elenco: Emmanuelle Riva, Eiji Okada, Stella Dallas, Pierre Barbaud, Bernard Fresson.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

A guerra dos botões (1962)

La-guerre-des-boutons-1962

No dia 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme La guerre des boutons (1962), dirigido pelo francês Yves Robert (1920 – 2002).

«Um dos melhores filmes sobre a infância – e um dos grandes panfletos pacifistas – da história do cinema.»

Sérgio Vaz

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962, 90 min, P&B, em francês, com legendas em português. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud (1882 – 1915). Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011, 109 min, em francês. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot.

Feliz Natal (Joyeux Noël)


Joyeux Noël • Feliz Natal ― Christian Carion (2005)

No dia 3 de dezembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Feliz Natal, do diretor francês Christian Carion.

A exibição de Feliz Natal (Joyeux Noël) encerra a programação de 2013 do Cine-Fórum CCB. As sessões retornam em 2014.

Sinopse

No Natal de 1914, no front, uma trégua é declarada informalmente pelas tropas escocesas, francesas e alemãs nas trincheiras da Primeira Guerra Mundial. Os inimigos deixam suas armas por uma noite e se juntam em fraternidade, para celebrar o nascimento do Príncipe da Paz.

Joyeux NoëlFeliz Natal ― Christian Carion (2005) França, Alemanha, Reino Unido, Bélgica, Romênia, Noruega. Elenco: Diane Kruger, Benno Fürmann, Guillaume Canet. (116 min). Distribuidor: Sony Pictures Home Entertainment do Brasil Ltda. Idioma: Francês, alemão, inglês, latim.

ENTRADA FRANCA
Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

  • Feliz Natal ― Gilberto Silva Jr.(Contracampo: Revista de Cinema)
  • Feliz Natal ― Márcio Sallem (Cinema com Crítica)
  • Feliz Natal — Sérgio Vaz (50 Anos de Filmes)
  • Feliz Natal — Alexandre Caetano (Artigos sobre filmes)