A Baía dos Anjos

20 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La Baie des Anges (A Baía dos Anjos). Direção e roteiro: Jacques Demy. Produção: Paul-Edmond Decharme. Música: Michel Legrand. Fotografia: Jean Rabier. Edição: Anne-Marie Cotret. Elenco: Jeanne Moreau, Claude Mann, Paul Guers, Henri Nassiet, André Certes e outros.
― 1963, França. P&B, 1h 30min. Em francês, com legendas em português.

Um empregado de um banco é levado ao cassino por um colega e acaba vencendo várias partidas. Encorajado por esta ocorrência, parte de férias para Nice (França) para jogar e conhece uma jovem dama que sacrificou toda a sua existência à paixão do jogo. Juntos perdem todo o seu dinheiro, e o herói coloca a mulher entre a escolha do amor a as mesas de aposta

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Anúncios

A noite americana

A noite americana (François Truffaut, 1973)

6 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La nuit américaine (A noite americana). Direção: François Truffaut. Produção: Marcel Berbert. Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard, Suzanne Schiffman. Música: Georges Delerue. Fotografia: Pierre-William Glenn. Edição: Martine Barraqué, Yann Dedet. Design de produção, direção de arte: Damien Lanfranchi. Figurino: Monique Dury. Elenco: Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Dani, Alexandra Stewart, Jean-Pierre Aumont, Jean Champion, Jean-Pierre Léaud, François Truffaut, Nike Arrighi e outros.
― 1973, França, Itália. 1h 55min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Na França começam as filmagens do longa Je vous présente Pamela, que conta a história de uma jovem inglesa que troca o marido francês pelo sogro. Ferrand (François Truffaut) é o diretor, e tem que lidar com os mais diversos problemas que aparecem nos sets de filmagens, desde a depressão de um ator até o inusitado gato que não consegue atuar. Uma encantadora homenagem à arte de fazer cinema.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 A Noite Americana é um dos mais humanos e
interessantes filmes já realizados sobre o cinema.

Luiz Santiago

Críticas e comentários

A primeira noite de um homem

01 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

The Graduate (A primeira noite de um homem). Direção: Mike Nichols. Produção: Lawrence Turman. Roteiro: Calder Willingham, Buck Henry, baseado no romance The Graduate (1963), de Charles Webb. Fotografia: Robert Surtees. Edição: Sam O’Steen. Design de produção: Richard Sylbert. Música: Simon & Garfunkel. Elenco: Anne Bancroft, Dustin Hoffman, Katharine Ross, William Daniels, Murray Hamilton e outros.
― 1967, Estados Unidos. 1h 46min. Em inglês, com legendas em português.

Recém-formado na faculdade e sem saber o que fazer da vida, um jovem envolve-se com a amiga madura e casada de seus pais. A coisa se complica quando ele se apaixona pela filha dela.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Trilha sonora no Spotify

A nau dos insensatos

11 DE JULHO
terça-feira − 19h30

Ship of Fools (A nau dos insensatos). Direção e produção: Stanley Kramer. Roteiro: Abby Mann, baseado no romance Ship of fools (1962), de Katherine Anne Porter. Música: Ernest Gold. Fotografia: Ernest Laszlo. Edição: Robert C. Jones. Design de produção: Robert Clatworthy. Decoração: Joseph Kish. Figurino: Bill Thomas. Elenco: Vivien Leigh, Simone Signoret, José Ferrer, Lee Marvin, Oskar Werner e outros.
― 1965, Estados Unidos. P&B, 2h 29min. Em inglês, alemão, espanhol, com legendas em português.

O filme mostra a história de diferentes passageiros a bordo de um navio que viaja do México rumo à Alemanha pré-Hitler. Durante longos 36 dias, vários personagens contam suas vidas e suas experiências. Há um discípulo do nazismo, um rico judeu, um dançarino franzino e sua trupe. Um médico, Wilhelm Schumann, fica frustrado por não conquistar a bela Condessa; há o nobre e amaldiçoado espanhol; o amor entre os dois jovens e artistas americanos. E há também Glocken, um anão filósofo que anuncia que aquela é a nau dos insensatos.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

As bostonianas

27 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

The Bostonians (As bostonianas). Direção: James Ivory. Produção: Ismail Merchant. Roteiro: Ruth Prawer Jhabvala, baseado no romance The Bostonians (1886), de Henry James (1843–1916). Música: Richard Robbins. Fotografia: Walter Lassally. Edição: Mark Potter Jr., Katherine Wenning. Elenco: Vanessa Redgrave, Christopher Reeve, Jessica Tandy, Madeleine Potter, Nancy Marchand, Wesley Addy.
― 1984, Reino Unido, Estados Unidos. 2h 2min. Em inglês, com legendas em português.

Boatos, 1875. Uma das líderes do movimento feminista se deixa fascinar por Verena, uma jovem e talentosa oradora, que por sua vez se envolve com um advogado de pensamento conservador quanto ao papel da mulher na sociedade. A jovem fica indecisa entre a causa feminista e o casamento e a vida doméstica convencional.

 

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

A sedutora Madame Bovary

20 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

Madame Bovary (A sedutora Madame Bovary). Direção: Vincente Minnelli. Produção: Pandro S. Berman. Roteiro: Robert Ardrey, baseado no romance Madame Bovary (1857), de Gustave Flaubert  (1821–1880). Música: Miklós Rózsa. Fotografia: Robert H. Planck. Edição: Ferris Webster. Direção de arte: Cedric Gibbons e Jack Martin Smith. Elenco: Jennifer Jones, James Mason, Van Heflin, Louis Jourdan, Alf Kjellin e outros.
― 1949, Estados Unidos.  P&B, 1h 54min. Em inglês, com legendas em português.

Emma – sonhadora e de alma burguesa – casa-se com Charles, um médico interiorano tão apaixonado pela esposa quanto entediante. Nem mesmo o nascimento da filha dá alegria ao indissolúvel casamento ao qual a protagonista se sente presa. Emma, cada vez mais angustiada e frustrada, busca no adultério uma forma de encontrar a liberdade e a felicidade.
Madame Bovary, de Gustave Flaubert, é uma das obras-primas do realismo/naturalismo francês. Sua publicação produziu tamanho impacto na sociedade que seu autor foi levado aos tribunais, acusado de ultraje à moral pública e religiosa e aos bons costumes. Em sua defesa, Flaubert dirá a célebre frase “Emma Bovary c’est moi!” (Emma Bovary sou eu). O filme inicia com a defesa de Flaubert no tribunal. Ao fazer sua argumentação, o autor narra aos espectadores o romance.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Vocês ainda não viram nada!

vous-n-Vocês ainda não viram nada! (Alain Resnais, 2012) avez-encore-rien-vu-26-09-2012-1-g

7  DE MARÇO
terça-feira − 19h30

Vous n’avez encore rien vu (Vocês ainda não viram nada!). Direção: Alain Resnais (1922 – 2014). Produção: Jean-Louis Livi. Roteiro: Alain Resnais, Laurent Herbiet, a partir da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh (1910 – 1987). Música: Mark Snow. Fotografia: Eric Gautier. Edição: Hervé de Luze; Sylvie Lager. Chef décorateur: Jacques Saulnier (1928 – 2014). Direção de arte: Matthieu Beutter. Figurino: Jackie Budin. Elenco: Lambert Wilson, Michel Piccoli, Mathieu Amalric, Pierre Arditi, Sabine Azéma e outros.
― França, Alemanha, 2012. 1h 55min. Em francês, com legendas em português.

Após sua morte, Antoine, famoso dramaturgo, deixa em testamento uma missão para alguns de seus mais próximos – eles devem aprovar ou reprovar uma montagem de sua peça Eurídice feita por uma jovem trupe de teatro.Três gerações de atores entrelaçam suas vozes e emoções sobre o mesmo texto. Adaptação livre da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários