A classe operária vai ao paraíso

A classe operária vai ao paraíso (Elio Petri, 1971)

La classe operaia va in paradiso (A classe operária vai ao paraíso). Direção: Elio Petri. Produção: Ugo Tucci. Roteiro: Elio Petri, Ugo Pirro. Música: Ennio Morricone. Fotografia: Luigi Kuveiller. Edição: Ruggero Mastroianni. Elenco: Gian Maria Volontè, Mariangela Melato, Gino Pernice, Luigi Diberti, Donato Castellaneta e outros.
― 1971, Itália. 2h 5min. Em italiano.

Lulu Massa é um “operário-padrão”, dedicado e admirado por seus chefes pelo trabalho bem feito, mas detestado pelos demais empregados. Por conta dos baixos salários e das péssimas condições de trabalho, o sindicato decide entrar em greve. Lulu decide não se envolver com o movimento político até o momento em que sofre um acidente com uma das máquinas, o que lhe custa um dedo.

[ficha técnica IMDB]

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

Anúncios

O círculo vermelho

O círculo vermelho (Jean-Pierre Melville, 1970)

31 DE OUTUBRO
terça-feira − 19h30

Le cercle rouge (O círculo vermelho). Direção e roteiro: Jean-Pierre Melville. Produção: Robert Dorfmann. Música: Éric Demarsan. Fotografia: Henri Decaë. Edição: Marie-Sophie Dubus, Jean-Pierre Melville. Elenco: Alain Delon, Gian Maria Volontè, Yves Montand, Bourvil, Paul Crauchet e outros.
― 1970, França, Itália. Color. (Eastmancolor), 2h 20min. Em francês, com legendas em português.

Corey é um charmoso ladrão que deixou a prisão no mesmo dia que o assassino Vogel escapou da custódia do superintendente de polícia Mattei. Assim começa a parceria entre os dois bandidos, que juntos com um ex-policial planejam um roubo de jóias.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 Críticas e comentários

 

Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita

Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita (Elio Petri, 1970)19 DE JULHO
terça-feira − 19h30

Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto (Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita). Direção: Elio Petri. Produção: Daniele Senatore; Marina Cicogna. Roteiro: Elio Petri, Ugo Pirro. Música: Ennio Morricone. Fotografia: Luigi Kuveiller. Edição: Ruggero Mastroianni. Elenco: Gian Maria Volontè, Florinda Bolkan, Gianni Santuccio, Orazio Orlando, Sergio Tramonti e outros.
― Itália, 1970. Cor (Technicolor), 1h52min. Em italiano, com legendas em português.

O chefe da polícia de Roma mata a sua amante e tenta incriminar um jovem esquerdista, que também tinha um caso com ela. Por chefiar as investigações, ele tem certeza de que está acima de qualquer suspeita. Assim, não se preocupa em deixar pistas no local do crime que apontem diretamente para seu nome e que serão ignoradas.

Livremente baseado em Crime e Castigo de Dostoiévski, Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita é um dos grandes filmes políticos italianos dos anos 1970, longa essencial do diretor Elio Petri sobre o abuso e corrupção do poder e da moral.

simbolo 18pq

Críticas e comentários

Cristo parou em Eboli

Cristo parou em Eboli (Francesco Rosi, 1979)

No dia 10 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Cristo parou em Eboli, dirigido pelo cineasta italiano Francesco Rosi (1922–2015).

Sinopse

Inspirado no romance autobiográfico de Carlo Levi (1902-1975), o filme narra a vida de um médico e escritor antifascista colocado sob prisão domiciliar em 1935 em uma remota vila italiana. Proibido de exercer qualquer atividade, incluindo a prática da medicina, ele descobre o mundo camponês, longe dos círculos intelectuais, até ser libertado dois anos depois já tendo ganhado a estima dos agricultores pobres da região.

Cristo si è fermato a Eboli (Cristo parou em Eboli). Itália, França: 1979. Direção: Francesco Rosi. Roteiro: Francesco Rosi, Tonino Guerra, Raffaele La Capria, baseado no romance autobiográfico de Carlo Levi “Cristo si è fermato a Eboli”, de 1945. Elenco: Gian Maria Volonté, Irene Papas, Paolo Bonacelli, Alain Cuny, Lea Massari e outros. Música: Piero Piccioni. Fotografia: Pasqualino De Santis. Edição: Ruggero Mastroianni. 150 min, em italiano, com legenda em português.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Entrada franca

Comentários, críticas, textos de apoio