O palácio francês

 

O palácio francês (Bertrand Tavernier, 2013)

Quai d’Orsay (O palácio francês). Direção: Bertrand Tavernier. Produção: Frédéric Bourboulon, Jérôme Seydoux. Roteiro: Abel Lanzac [Antonin Baudry], Christophe Blain, Bertrand Tavernier, baseado nos quadrinhos Quai d’Orsay – Chroniques diplomatiques, de Abel Lanzac e Christophe Blain. Música: Philippe Sarde. Fotografia: Jérôme Alméras. Edição: Guy Lecorne. Elenco: Thierry Lhermitte, Raphaël Personnaz, Niels Arestrup, Bruno Raffaelli, Julie Gayet e outros.
― 2013, França. 1h 53min. Em francês.

Graduado na École nationale d’administration, o jovem Arthur é chamado para trabalhar no Ministério das Relações Exteriores da França, à serviço de um ambicioso ministro. Arthur será responsável por elaborar o discurso do ministro, mas logo percebe que em meio a golpes políticos e vaidades pessoais, esta tarefa não será nada fácil.

[ficha técnica IMDB]

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

Anúncios

Desajustados

Desajustados  - Dagur Kári.jpg

30 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Fúsi (Desajustados). Direção: Dagur Kári. Produção: Agnes Johansen, Baltasar Kormákur. Roteiro: Dagur Kári. Música: Karsten Fundal, Dagur Kári. Fotografia: Rasmus Videbæk. Edição: Olivier Bugge Coutté Andri Steinn. Elenco: Gunnar Jónsson, Ilmur Kristjánsdóttir, Sigurjón Kjartansson, Margrét Helga Jóhannsdóttir, Franziska Una Dagsdóttir e outros.
― 2015, Islândia, Dinamarca. 1h 34min. Em islandês, com legendas em português.

Fúsi tem 43 anos, é corpulento, tímido e solitário. Mora com a mãe, trabalha no setor de bagagens de um aeroporto. Seu único amigo, casado e com filhos, compartilha com ele a paixão por colecionar miniaturas de soldados e tanques da Segunda Guerra Mundial. A rotina é alterada quando Fúsi conhece Sjöfn, em um curso de dança de salão.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

 

Pedalando com Molière

Pedalando com Molière (Philippe Le Guay, 2013)

28 fev.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Alceste à bicyclette (Pedalando com Molière). Direção: Philippe Le Guay. Produção: Anne-Dominique Toussaint. Roteiro: Philippe Le Guay, Fabrice Luchini, Emmanuel Carrère. Música: Jorge Arriagada. Fotografia: Jean-Claude Larrieu. Edição: Monica Coleman. Design de produção: Françoise Dupertuis. Elenco: Fabrice Luchini, Lambert Wilson, Maya Sansa, Camille Japy, Ged Marlon e outros. ― 2013, França. 1h 44min. Em francês, italiano, com legendas em português.

Cansado da carreira de ator, o respeitado Serge Tanneur decide abandonar os palcos e se aposentar, vivendo isolado na pequena Ilha de Ré. Sua calma é interrompida pela chegada de Gauthier Valence, ator de televisão popular, que o convida a interpretar o papel principal em uma adaptação de O Misantropo, de Molière. Afinal, a nova condição de Serge combina muito bem com o personagem clássico… Após a recusa inicial, Serge propõe um desafio: ambos devem ensaiar a primeira cena da peça juntos, nos papéis de Philinte e Alceste, e depois de cinco dias treinando, ele dará a resposta sobre sua participação. Começam assim os jogos de poder e manipulação entre os dois homens.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

 

Nossa irmã mais nova

Nossa irmã mais nova (Hirokazu Koreeda, 2015)

21 fev.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Umimachi Diary (Nossa irmã mais nova). Direção: Hirokazu Koreeda. Produção: Takashi Ishihara, Kaoru Matsuzaki, Hijiri Taguchi. Roteiro: Hirokazu Koreeda, inspirado na série de manga josei “Umimachi Diary”, de Akimi Yoshida. Música: Yôko Kanno. Fotografia: Mikiya Takimoto. Edição: Hirokazu Koreeda. Design de produção: Keiko Mitsumatsu. Elenco: Haruka Ayase, Masami Nagasawa, Kaho, Suzu Hirose, Ryo Kase e outros. ― 2015, Japão. 2h 8min. Em japonês, com legendas em português.

Três irmãs vivem na casa da falecida avó, abandonadas pelos pais. Um dia ficam sabendo da morte de seu pai e comparecem ao funeral, onde conhecem a filha que ele teve em outro casamento, Suzu, de apenas 13 anos. Percebendo que ela, assim como o trio, ficaria abandonada, decidem levar a menina para morar com elas. A partir de então, as quatro irmãs constroem um convívio rico e fecundo.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

 

 

Samba

Samba (Olivier Nakache e Eric Toledano, 2014)

17 DE OUTUBRO
terça-feira − 19h30

Samba. Direção: Olivier Nakache, Eric Toledano. Produção: Nicolas Duval Adassovsky, Laurent Zeitoun, Yann Zenou, Omar Sy. Roteiro: Eric Toledano, Olivier Nakache, Delphine Coulin, Muriel Coulin, a partir do romance Samba pour la France (2011), de Delphine Coulin. Música: Ludovico Einaudi. Fotografia: Stéphane Fontaine. Edição: Dorian Rigal-Ansous. Elenco: Omar Sy, Charlotte Gainsbourg, Tahar Rahim, Izïa Higelin, Issaka Sawadogo e outros.
― 2014, França. Gaumont. 1h 58min. Em francês, árabe, inglês, português, russo, sérvio, com legendas em português.

Samba é um imigrante do Senegal que vive há 10 anos na França, trabalha em um restaurante como lavador de pratos, mas tem problemas com a imigração e acaba por ser preso. Alice é uma executiva que sofreu uma crise de burnout devido ao trabalho excessivo e, agora, trabalha como voluntária em uma ONG que ajuda imigrantes em situação irregular como parte de seu tratamento. Duas vidas com poucas perspectivas que se cruzam e iniciam um relacionamento insólito.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 

 Críticas e comentários

 

 

A religiosa

13 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

La religieuse (A religiosa). Direção: Guillaume Nicloux. Produção: Benoît Quainon. Roteiro: Guillaume Nicloux, Jérôme Beaujour, baseado no romance La Religieuse, de Denis Diderot (1713-1784). Música: Max Richter. Fotografia: Yves Cape. Edição: Guy Lecorne. Elenco: Pauline Etienne, Isabelle Huppert, Louise Bourgoin, Françoise Lebrun, Agathe Bonitzer, Gilles Cohen e outros.
― 2013, França, Alemanha, Bélgica. 1h 52min. Em francês, latim, com legendas em português. 

França, 1760. Nascida em uma família burguesa, Suzanne Simonin é uma jovem com um talento natural para música – e que aspira a viver na sociedade. Ela fica completamente atordoada quando seus pais a enviam para um convento, contra sua vontade. Adaptado do romance póstumo de Diderot, A Religiosa mostra a trajetória de uma mulher tentando resistir a valores religiosos impostos e revela a desumanização da vida de clausura, na França do século XVIII.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

Versão de 1966:

La religieuse (A religiosa). Direção: Jacques Rivette. Produção: Georges de Beauregard. Roteiro: Jean Gruault, Jacques Rivette, baseado no romace homônimo de Denis Diderot. Elenco: Anna Karina, Liselotte Pulver, Micheline Presle. ― 1966, França. 2h 15min.

Branca de Neve


6 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

Blancanieves (Branca de Neve). Direção e roteiro: Pablo Berger. Produção: Pablo Berger, Ibon Cormenzana, Jérôme Vidal. Música: Alfonso de Vilallonga. Fotografia: Kiko de la Rica. Edição: Fernando Franco. Figurino: Paco Delgado. Elenco: Macarena García, Maribel Verdú, Emilio Gavira, Daniel Giménez Cacho, Inma Cuesta e outros.
― 2012, Espanha, Bélgica, França. P&B, silencioso, 1h 44min. Em espanhol, com legendas em português.

Sevilha da década de 1920. Antônio Villalta é um toureiro, o mais famoso e adorado da Espanha. Ferido em uma tourada, fica à beira da morte. Enquanto isso, sua esposa dá à luz uma menina e morre. A garota, Carmencita, cresce aos cuidados da avó. Já o toureiro, que ficou paraplégico, casa-se com a enfermeira que tratou dele no hospital, Encarna. Com a morte da avó, a menina é mandada para a casa do pai, com quem nunca teve contato. A madrasta a proíbe de subir para o segundo andar, onde seu pai vive confinado. Porém, a menina tanto faz que reencontra o toureiro, solitário numa cadeira de rodas preso a um quarto. Se, num primeiro momento, há estranhamento entre eles, com o tempo se tornam amigos, e ele lhe ensina técnicas de tourada. Percebendo a situação, Encarna obriga o motorista a matar a menina, mas ele não consegue. A menina se integra à trupe de seis anões toureiros, que a chamam de Branca de Neve.

 

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Comentários e críticas