A felicidade não se compra

A felicidade não se compra (Frank Capra, 1946)

13 DE DEZEMBRO
terça-feira − 19h30

It’s a wonderful life (A felicidade não se compra). Direção: Frank Capra. Produção: Frank Capra. Roteiro: Frances Goodrich, Albert Hackett, Frank Capra, Jo Swerling, Philip Van Doren Stern, Michael Wilson. Elenco: James Stewart, Donna Reed, Lionel Barrymore, Thomas Mitchell, Henry Travers e outros.
― Estados Unidos, 1946. P&B, 2h 10min. Em inglês, com legendas em português.

Na véspera de Natal, o caridoso George Bailey decide se suicidar por não ter como pagar uma dívida inesperada. Ele é salvo por seu anjo da guarda, que lhe mostra como as vidas de tantas pessoas e sua cidade seriam diferentes se ele não tivesse nascido e feito de sua vida um serviço de amor aos outros. Um conto de Natal, com renovada esperança no gênero humano.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

O que eu mais desejo

O que eu mais desejo (Hirokazu Koreeda, 2011)
13 DE DEZEMBRO
terça-feira − 19h30

奇跡 [Kiseki] (O que eu mais desejo). Direção e roteiro: Hirokazu Koreeda. Elenco: Hiroshi Abe, Masami Nagasawa, Joe Odagiri, Kirin Kiki, Kyara Uchida e outros.
― Japão, 2011. Cor, 2h 8min. Em japonês, com legendas em português.

No Japão, na ilha de Kyushu, dois irmãos vivem separados após o divórcio de seus pais. O mais velho, de 12 anos mora com sua mãe no sul da ilha e seu irmão mais novo, com o pai, no norte da ilha. Embora tenham muitos desejos, o que eles realmente querem é voltar à família que tinham, estar juntos novamente. E vão usar de diversas artimanhas para consegui-lo.

Livre para todos os públicos

 

 Críticas e comentários

A grande testemunha

A grande testemunha (Robert Bresson, 1966)6 DE DEZEMBRO
terça-feira − 19h30


Au hasard Balthazar (A grande testemunha). Direção e roteiro: Robert Bresson. Música: Jean Wiener. Fotografia: Ghislain Cloquet. Edição: Raymond Lamy. Direção de arte: Pierre Charbonnier. Elenco: Anne Wiazemsky, Walter Green, François Lafarge.
― França, Suécia, 1966. P&B, 1h 35min. Em francês, latim, com legendas em português.

História de Balthazar, um jumento, que desde sua infância se vê cercado por crianças que o adoram, até a idade adulta. Sua vida é contada juntamente com a da menina que lhe deu o nome ― enquanto é maltratado pelo dono, ela será humilhada por um amante sádico.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

Amar, beber e cantar

Amar, beber e cantar (Alain Resnais, 2014)

29 DE NOVEMBRO
terça-feira − 19h30

Aimer, boire et chanter (Amar, beber e cantar). Direção: Alain Resnais (1922–2014). Produção: Jean-Louis Livi. Roteiro: Laurent Herbiet, Alain Resnais, Jean-Marie Besset, baseado na peça Life of Riley, de Alan Ayckbourn. Música: Mark Snow. Fotografia: Dominique Bouilleret. Edição: Hervé de Luze. Elenco: Sabine Azéma, Sandrine Kiberlain, Caroline Silhol, André Dussollier, Hippolyte Girardot e outros.
― França, 2014. 1h 48min. Em francês, com legendas em português.

Em meio aos ensaios de uma nova peça de teatro amador, Colin e Kathryn recebem a trágica notícia que seu amigo George está fatalmente doente e tem apenas alguns meses de vida. O último filme do diretor Alains Resnais.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Maridos e esposas

Maridos e esposas (Woody Allen, 1992)

22 DE NOVEMBRO
terça-feira − 19h30

Husbands and Wives (Maridos e esposas). Direção e roteiro: Woody Allen. Produção: Robert Greenhut. Fotografia: Carlo Di Palma. Edição: Susan E. Morse. Elenco: Woody Allen, Mia Farrow, Sydney Pollack, Judy Davis, Juliette Lewis.
― Estados Unidos, 1992. 1h 43min. Em inglês, com legendas em português.

Esta comédia dramática conta a história de um casal que se afeta com a notícia da separação de seus melhores amigos. O casal Gabe Roth e Judy Roth recebem chocados a notícia de que Jack e Sally, um casal muito amigo deles, está se separando. Muito provavelmente pelo fato de Gabe e Judy também estarem se distanciando, e só agora tomarem consciência disto, a relação de ambos também começa a entrar em conflito. Assim, enquanto Jack e Sally tentam conhecer novas pessoas, o casamento de Gabe e Judy se mostra desgastado e eles começam a se sentir atraídos por outras pessoas.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

As invasões bárbaras

As invasões bárbaras (Denys Arcand, 2003)

15 DE NOVEMBRO
terça-feira − 19h30

Les invasions barbares (As invasões bárbaras). Direção e roteiro: Denys Arcand. Produção: Daniel Louis, Denise Robert, Fabienne Vonier. Música: Pierre Aviat. Fotografia: Guy Dufaux. Edição: Isabelle Dedieu. Elenco: Rémy Girard, Stéphane Rousseau, Marie-Josée Croze, Marina Hands, Dorothée Berryman e outros.
― Canadá, França, 2003. 1h 39min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Considerado um dos melhores filmes de 2003, As Invasões Bárbaras é um filme raro. Emocionante, sem ser piegas, e ao mesmo tempo moderno. O diretor Denys Arcand promove o reencontro dos amigos de O Declínio do Império Americano dezoito anos depois. Eles estão juntos novamente para se despedir de Rémy, abatido por um câncer raro. A reunião é promovida por seu filho. Sensível, envolvente, com um humor afinadíssimo e muito inteligente.

Não recomendado para menores de 16 anos

Críticas e comentários

O declínio do império americano

Le declin de l'empire Americain (Denys Arcand, 1986)

8 DE NOVEMBRO
terça-feira − 19h30

Le déclin de l’empire américain (O declínio do império americano). Direção e roteiro: Denys Arcand. Produção: Roger Frappier, Pierre Gendron, René Malo. Música: François Dompierre. Fotografia: Guy Dufaux. Edição: Monique Fortier. Elenco: Dominique Michel, Dorothée Berryman, Louise Portal, Pierre Curzi, Rémy Girard e outros.
― Canadá, 1986. 1h 41min. Em francês, com legendas em português.

Os professores universitários Rémy, Pierre, Claude e Alain preparam um saboroso jantar no campo, às margens do lago canadense Memphremagog. Na cidade, as amigas Dominique, Louise, Diane e Danielle se exercitam no centro esportivo. Sob o suave outono, os intelectuais vislumbram o declínio quase invisível de um grande império. Desprezo pelas instituições, decadência das elites e queda da natalidade são sinais crepusculares. Tanto no clube do Bolinha quanto no da Luluzinha só se fala de sexo. Os homens falam das mulheres e as mulheres dos homens.

Não recomendado para menores de 16 anos

Críticas e comentários