A fonte das mulheres

A fonte das mulheres (2011)

No dia 26 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A fonte das mulheres, do judeu-romeno Radu Mihaileanu.

Sinopse

A história se passa nos tempos atuais, em uma remota e tradicional aldeia patriarcal, em algum lugar no Magrebe. A pequena aldeia, assombrada pela seca, o desemprego e a corrupção das autoridades locais – que atrasam a instalação da água encanada e da eletricidade – sobrecarrega de trabalho pesado suas mulheres. Sempre levando baldes nas costas, ladeira acima, ladeira abaixo, várias delas, grávidas, perdem os filhos. Leïla, esposa de Sami, jovem professor da escola local, começa um movimento de greve de sexo entre as mulheres para forçar os homens a trazer água para a aldeia. Há uma forte e brutal reação dos homens, apoiados por seus líderes. Com coragem e bom humor, as mulheres resistem até conseguir seu objetivo.

La source des femmes (A fonte das mulheres). Bélgica, Itália, França: 2011, 135 min, em árabe, com legendas em português. Direção: Radu Mihaileanu. Roteiro: Radu Mihaileanu, Alain-Michel Blanc, Catherine Ramberg. Elenco: Leïla Bekhti, Hafsia Herzi, Hiam Abbass. Distribuidor: Paris Filmes.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários, críticas

Como era verde o meu vale

Como era verde o meu vale (1941)

No dia 19 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Como era verde o meu vale, dirigido pelo cineasta estadunidense John Ford (1894 – 1973). 

Sinopse

Aos 60 anos, Huw Morgan relembra sua vida quando garoto em uma pequena cidade mineradora no sul do País de Gales, no início do século XX. Suas reminiscências revelam a desintegração de sua família, enquanto capta os sentimentos e problemas daquele tempo. Todos os homens da família são trabalhadores nas minas de carvão. Com a precariedade do vínculo empregatício e os baixos salários, os mineradores formam um sindicato e entram em greve.

How Green Was My Valley (Como era verde o meu vale). Estados Unidos: 1941, 118 min, P&B, em inglês e galês, com legendas em português. Direção: John Ford. Roteiro: Philip Dunne (1908 – 1992), baseado no romance homônimo de Richard Llewellyn (1906 – 1983). Elenco: Walter Pidgeon, Maureen O’Hara, Anna Lee, Donald Crisp.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Primavera, verão, outono, inverno… e primavera

Primavera, Verão, Outono, Inverno... e Primavera

No dia 12 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Primavera, verão, outono, inverno… e primavera, dirigido pelo cineasta coreano Kim Ki-Duk.

Após a exibição do filme a monja Cris E-gen, do Templo Shin Budista Terra Pura*, de Brasília, conversará com a comunidade.

Sinopse

Em um pequeno mosteiro flutuante sobre um lago vivem um monge e seu discípulo. Enquanto o menino explora os arredores, ele se deixa levar por seus instintos e crueldades infantis. Porém, o mestre sempre está pronto para ensinar suas lições, e mostra para o garoto que as consequências de pequenos atos podem durar a vida toda. O filme conta a história desse jovem seguindo o ritmo das estações do ano.

Bom, Yeoreum, Gaeul, Gyeoul, Geurigo, Bom (Primavera, verão, outono, inverno… e primavera). Coreia do Sul; Alemanha: 2003, 103 min, em coreano, com legendas em português. Direção e roteiro: Kim Ki-Duk. Elenco: Yeong-su Oh, Jong-ho Kim, Young-min Kim, Ki-duk Kim.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 16 anos

(*) Templo Shin Budista Terra Pura

A lei da água

A lei da água (André D’Elia, 2014)

No dia 5 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A lei da água, documentário dirigido pelo cineasta brasileiro  André D’Elia. 

A sessão será seguida de debate com especialistas.

Sinopse

A Lei da Água esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e a polêmica sobre sua elaboração e implantação. O documentário mostra os impactos sobre a floresta, a água, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão. Casos concretos de degradação ambiental e técnicas agrícolas sustentáveis que podem conciliar os interesses de conservação e produção da sociedade são focalizados.

Dirigido por André D’Elia e produzido por Fernando Meirelles, o documentário A lei da água foi realizado numa parceria do Instituto Sócio Ambiental (ISA), WWF Brasil, Fundação S.O.S. Mata Atlântica, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Bem-Te-Vi Diversidade. O documentário é uma parceria da O2 com a Cinedélia e foi finalizado na produtora.

A lei da água. Brasil: 2014, 78 min, em Português. Direção: André D’Elia. Produção: Cinedelia, O2 Filmes. Distribuidor: O2 Play.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Lunchbox

The Lunchbox (2013)

No dia 28 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Lunchbox, dirigido pelo cineasta indiano Ritesh Batra. 

Sinopse

O Mumbai Dabbawallahs é um serviço de entrega de comida muito conhecido na região, na Índia. Um dia, um erro nas entregas faz com que Saajan, um solitário viúvo, conheça Ila, uma dona de casa infeliz no casamento. Os dois começam a se corresponder e, juntos, criam um mundo de fantasias, trocando mensagens que são levadas nas embalagens do Mumbai Dabbawallahs.

Dabba (Lunchbox). India, França, Alemanha, Estados Unidos: 2013, 104 min, em hindi e inglês, com legendas em português. Direção: Ritesh Batra. Roteiro: Ritesh Batra. Elenco: Irrfan Khan, Nimrat Kaur, Nawazuddin Siddiqui. Distribuidor: Imovision.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Tampopo: os brutos também comem spaghetti

Tampopo

No dia 21 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Tampopo: os brutos também comem spaghetti, dirigido pelo cineasta japonês Jûzô Itami (1933–1997). 

Sinopse

Elegante comédia japonesa em que a arte culinária desempenha o papel de fio condutor de diversas narrativas. A história principal centra-se na conquista da perfeita receita de ramen (sopa de macarrão) servido no restaurante da jovem viúva Tampopo. Esta busca, com ares de western spaghetti, será realizada com a ajuda de um caminhoneiro que agrega mais alguns amigos para reerguer o restaurante da simpática viúva.  Paralelamente à saga de Tampopo e seus amigos, são apresentadas pequenas narrativas envolvendo a alimentação e seus rituais que ressaltam a relação sensorial entre as pessoas e a comida.

Tampopo (Tampopo: os brutos também comem spaghetti). 1985, em japonês, legendado em português. Direção e roteiro: Jûzô Itami. Elenco: Tsutomu Yamazaki, Nobuko Miyamoto, Kôji Yakusho, Ken Watanabe, Rikiya Yasuoka. Distribuidor: Cult Classic.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Os brutos também amam

Shane (Os brutos também amam)

No dia 14 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Os Brutos também amam, dirigido pelo cineasta estadunidense George Stevens (1904-1975), com Alan Ladd (1913-1964). 

Sinopse

A lendária versão do mais perfeito mito do gênero western. Shane, um errante e veterano pistoleiro, defende uma pacata família, aterrorizada por um rico boiadeiro e seu atirador de aluguel. Ao encarar a batalha decisiva, Shane vê o final de seu próprio estilo de vida.

Shane (Os brutos também amam). Estados Unidos: 1953, 118 min, em inglês, legendado em português. Direção: George Stevens. Produção: Paramount Pictures. Roteiro: A.B. Guthrie Jr., Jack Sher, baseado em romance homônimo de Jack Schaefer (1907 – 1991). Elenco: Alan Ladd, Jean Arthur, Van Heflin, Brandon De Wilde, Jack Palance. Distribuidor: Paramount.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos