Lunchbox

The Lunchbox (2013)

No dia 28 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Lunchbox, dirigido pelo cineasta indiano Ritesh Batra. 

Sinopse

O Mumbai Dabbawallahs é um serviço de entrega de comida muito conhecido na região, na Índia. Um dia, um erro nas entregas faz com que Saajan, um solitário viúvo, conheça Ila, uma dona de casa infeliz no casamento. Os dois começam a se corresponder e, juntos, criam um mundo de fantasias, trocando mensagens que são levadas nas embalagens do Mumbai Dabbawallahs.

Dabba (Lunchbox). India, França, Alemanha, Estados Unidos: 2013, 104 min, em hindi e inglês, com legendas em português. Direção: Ritesh Batra. Roteiro: Ritesh Batra. Elenco: Irrfan Khan, Nimrat Kaur, Nawazuddin Siddiqui. Distribuidor: Imovision.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

A lei da água

A lei da água (André D’Elia, 2014)

No dia 5 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A lei da água, documentário dirigido pelo cineasta brasileiro  André D’Elia. 

A sessão será seguida de debate com especialistas.

Sinopse

A Lei da Água esclarece as mudanças promovidas pelo novo Código Florestal e a polêmica sobre sua elaboração e implantação. O documentário mostra os impactos sobre a floresta, a água, a produção de alimentos e a vida de cada cidadão. Casos concretos de degradação ambiental e técnicas agrícolas sustentáveis que podem conciliar os interesses de conservação e produção da sociedade são focalizados.

Dirigido por André D’Elia e produzido por Fernando Meirelles, o documentário A lei da água foi realizado numa parceria do Instituto Sócio Ambiental (ISA), WWF Brasil, Fundação S.O.S. Mata Atlântica, Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) e Bem-Te-Vi Diversidade. O documentário é uma parceria da O2 com a Cinedélia e foi finalizado na produtora.

A lei da água. Brasil: 2014, 78 min, em Português. Direção: André D’Elia. Produção: Cinedelia, O2 Filmes. Distribuidor: O2 Play.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Tampopo: os brutos também comem spaghetti

Tampopo

No dia 21 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Tampopo: os brutos também comem spaghetti, dirigido pelo cineasta japonês Jûzô Itami (1933–1997). 

Sinopse

Elegante comédia japonesa em que a arte culinária desempenha o papel de fio condutor de diversas narrativas. A história principal centra-se na conquista da perfeita receita de ramen (sopa de macarrão) servido no restaurante da jovem viúva Tampopo. Esta busca, com ares de western spaghetti, será realizada com a ajuda de um caminhoneiro que agrega mais alguns amigos para reerguer o restaurante da simpática viúva.  Paralelamente à saga de Tampopo e seus amigos, são apresentadas pequenas narrativas envolvendo a alimentação e seus rituais que ressaltam a relação sensorial entre as pessoas e a comida.

Tampopo (Tampopo: os brutos também comem spaghetti). 1985, em japonês, legendado em português. Direção e roteiro: Jûzô Itami. Elenco: Tsutomu Yamazaki, Nobuko Miyamoto, Kôji Yakusho, Ken Watanabe, Rikiya Yasuoka. Distribuidor: Cult Classic.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Os brutos também amam

Shane (Os brutos também amam)

No dia 14 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Os Brutos também amam, dirigido pelo cineasta estadunidense George Stevens (1904-1975), com Alan Ladd (1913-1964). 

Sinopse

A lendária versão do mais perfeito mito do gênero western. Shane, um errante e veterano pistoleiro, defende uma pacata família, aterrorizada por um rico boiadeiro e seu atirador de aluguel. Ao encarar a batalha decisiva, Shane vê o final de seu próprio estilo de vida.

Shane (Os brutos também amam). Estados Unidos: 1953, 118 min, em inglês, legendado em português. Direção: George Stevens. Produção: Paramount Pictures. Roteiro: A.B. Guthrie Jr., Jack Sher, baseado em romance homônimo de Jack Schaefer (1907 – 1991). Elenco: Alan Ladd, Jean Arthur, Van Heflin, Brandon De Wilde, Jack Palance. Distribuidor: Paramount.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

A vida no paraíso

A vida no paraíso

No dia 7 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A vida no paraíso, dirigido pelo cineasta sueco Kay Pollak. 

Sinopse

Um maestro de sucesso internacional interrompe inesperadamente sua carreira e volta para sua cidade natal no extremo norte da Suécia. Sua fama logo cria um burburinho na cidade, fazendo dele objeto de curiosidade, fascinação e desconfiança. Não demora muito para ele ser convidado a dar uma ajuda ao coro da igreja. Relutante, ele acaba aceitando o convite e se surpreende com a redescoberta do amor que sente pela música. O trabalho com o coro traz novas amizades, mas também inimigos. E também traz um novo amor.

Så som i himmelen (A vida no paraíso). Suécia, Dinamarca: 2004, 133 min, em sueco, inglês, italiano, com legendas em português. Direção: Kay Pollak. Roteiro: Anders Nyberg, Ola Olsson, Carin Pollak, Kay Pollak, Margaretha Pollak. Elenco: Michael Nyqvist, Frida Hallgren, Helen Sjöholm.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

O Moinho e a Cruz

O Moinho e a Cruz

No dia 31 de março, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O Moinho e a Cruz, dirigido pelo cineasta polonês Lech Majewski. 

Sinopse

O filme propõe uma recriação inédita e em movimento do quadro A Procissão para o Calvário (1564), de Pieter Bruegel, que representa a Paixão de Cristo no contexto sociopolítico da ocupação espanhola nos Países Baixos. A história alterna a construção do quadro, narrada por Bruegel, o sofrimento de Jesus, comentado por Maria, e a vida típica dos camponeses que compunham esta sociedade do século XVI.

Em 1564, Peter Bruegel (1525-1569) pintou A Procissão para o Calvário, uma representação a óleo em tela com mais de 500 personagens, sob o tema da crucificação de Jesus e as perseguições religiosas em Flandres. Em 1996, mais de 400 anos depois, esse quadro deu origem à monografia The Mill and the Cross, uma análise exaustiva à obra de Bruegel pelo reconhecido crítico de arte Michael Francis Gibson. Em 2011, o cineasta polonês Lech Majewski, inspirado por ambas as obras e utilizando cenários pintados conjuntamente com as mais recentes técnicas digitais, transporta para o cinema a história de 12 daqueles personagens, num ambiente estilizado como se de um quadro a óleo se tratasse.

The Mill and the Cross (O moinho e a cruz). Polônia, Suécia: 2011, 92 min, em inglês, espanhol, flamengo, com legendas em português. Direção: Lech Majewski. Roteiro: Michael Francis Gibson, Lech Majewski. Elenco: Rutger Hauer, Michael York, Charlotte Rampling. Distribuidor: Lume Filmes.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 16 anos

O Baile

O Baile

No dia 24 de março, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O baile, dirigido pelo cineasta italiano Ettore Scola. 

Sinopse

O filme se passa na década de 1980, em um grande salão de baile construído nos anos 1930. As primeiras a chegarem ao local são as mulheres, seguidas pelos imponentes, tímidos ou amedrontados homens. Personagens que dançam ao longo do salão enquanto se recordam do passado. Transportados para 1936, viaja-se no tempo e percorre-se cada período da história. Ao lado dos bailarinos é possível conhecer a história da França dos anos 1930 aos anos 1980 – a classe trabalhadora; o período de ocupação nazista durante a Segunda Guerra Mundial; a libertação da França pelas forças dos aliados; a musicalidade de Glenn Miller; a chegada do rock’n’roll e a invasão dos estudantes radicais no abandonado salão de baile.

Le bal (O baile). França, Itália, Argélia: 1983, 112 min. Direção: Ettore Scola. Roteiro: Jean-Claude Penchenat (ideia), Ruggero Maccari, Jean-Claude Penchenat, Furio Scarpelli, Ettore Scola. Elenco: Anita Picchiarini, Arnault LeCarpentier, Aziz Arbia, Chantal Capron.

Entrada franca

Livre para todos os públicos