Teresa, o corpo de Cristo

Teresa, o corpo de Cristo (Ray Loriga, 2007)

No dia 28 de julho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Teresa, o corpo de Cristo, dirigido pelo cineasta espanhol Ray Loriga.

A apresentação do filme Teresa, o corpo de Cristo, insere-se na programação da Semana Inaciana, em comemoração ao dia de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus. O filme é também celebrativo do quinto centenário do nascimento de Santa Teresa de Ávila (1515-1582), doutora da Igreja.

Sinopse

Cinebiografia de Teresa de Cepeda y Ahumada (1515 – 1582), mais conhecida como santa Teresa de Jesus ou simplesmente Teresa de Ávila, monja carmelita, fundadora das carmelitas descalças, mística e escritora espanhola. Doutora da Igreja. O filme enfoca os anos iniciais de sua vida no Convento da Encarnação, com ênfase ao período entre 1554 e 1562, quando iniciam suas visões místicas e desejo de reforma da vida religiosa. Neste período de muita turbulência religiosa e política, Teresa é vista com muita desconfiança pelas autoridades eclesiásticas. Em 1555, os jesuítas Juan de Prádanos e Baltasar Álvarez fundaram em Ávila um colégio da Companhia de Jesus. Teresa põe-se sob a direção espiritual dos jesuítas. Manteve conversações com são Francisco de Borja que animou-a em seus projetos de reforma. Teve também o incentivo de são Pedro de Alcântara e são Luis Bertrán. Junto com são João da Cruz reformou a Ordem do Carmelo.

Teresa, el cuerpo de Cristo – Teresa, muerte y vida (Teresa, o corpo de Cristo). França, Espanha, Reino Unido: 2007. Direção e roteiro: Ray Loriga. Elenco: Paz Vega, Leonor Watling, Geraldine Chaplin, Eusebio Poncela, Amparo Valle, Javier Mejía e outros. 97 min, em espanhol, com legendas em português.

 

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Vidas ao vento

Vidas ao vento

No dia 21 de julho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme de animação Vidas ao vento, dirigido pelo cineasta japonês Hayao Miyazaki, do Studio Ghibli.

A exibição do filme Vidas ao vento insere-se no pequeno festival de animação do mês de julho, no Cine-Fórum CCB.

Sinopse

A animação conta a vida do designer de aviões Jiro Horikoshi (1903-1982) e os principais acontecimentos históricos que afetaram sua trajetória. O jovem Jiro sonha em voar e desenhar lindos aviões, inspirado pelo designer aeronáutico italiano Caproni. Não podendo tornar-se piloto por ter miopia desde a infância, Jiro entra na divisão de aviões de uma grande empresa de engenharia japonesa em 1927. Ele conhece e se apaixona por Nanoko, desfruta de sua amizade com o colega Honjo e traz grandes inovações para o mundo da aviação.

Kaze tachinu – The wind rises (Vidas ao vento). Japão: 2013. Direção e roteiro: Hayao Miyazaki. Produção: Studio Ghibli. Vozes: Hideaki Anno, Hidetoshi Nishijima, Miori Takimoto, Masahiko Nishimura, Mansai Nomura e outros. 126 min, em japonês, alemão, italiano, francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Valsa com Bashir

Valsa com Bashir (Ari Folman, 2008)

No dia 14 de julho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme de animação Valsa com Bashir, dirigido pelo cineasta israelense Ari Folman.

A exibição do filme Valsa com Bashir insere-se no pequeno festival de animação do mês de julho, no Cine-Fórum CCB.

Sinopse

Folman, um veterano da Guerra do Líbano de 1982, busca recuperar as suas memórias perdidas dos eventos que marcaram o massacre de Sabra e Shatila. O filme retrata de forma sensível o envolvimento do Estado de Israel no massacre, resgatando a participação dos soldados que lutaram nesta guerra. Valsa com Bashir é o resultado da busca de Folman para tentar reconstituir sua memória e superar traumas. O filme é um documentário em animação, no qual as cenas são desenhadas a partir de depoimentos reais gravados por Folman em conversas com camaradas que combateram a seu lado no exército israelense, muitos deles igualmente traumatizados.

Vals Im Bashir (Valsa com Bashir). Israel, França, Alemanha, Estados Unidos, Finlândia, Suíça, Bélgica, Austrália: 2008. Direção e roteiro: Ari Folman. Vozes: Ari Folman, Ori Sivan, Ronny Dayag, Shmuel Frenkel, Zahava Solomon e outros. 90 min, em hebraico, árabe, alemão, inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 16 anos

Persépolis

Persépolis

No dia 7 de julho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme de animação Persépolis, dirigido pelos quadrinhistas e cineastas Vincent Paronnaud e Marjane Satrapi.

A exibição do filme Persépolis insere-se no pequeno festival de animação do mês de julho, no Cine-Fórum CCB. Após a exibição do filme haverá debate e sorteio do livro Persépolis — completo (Companhia das Letras).

Sinopse

Filme francês de animação, baseado no romance gráfico autobiográfico homônimo de Marjane Satrapi.

Persepolis (Persépolis). França, Estados Unidos: 2007. Direção: Vincent Paronnaud, Marjane Satrapi. Roteiro: Vincent Paronnaud, baseado no romance gráfico autobiográfico de Marjane Satrapi. Vozes: Chiara Mastroianni, Danielle Darrieux, Catherine Deneuve, Simon Abkarian, Gabrielle Lopes Benites e outros. 96 min, colorido e P&B, em francês, inglês, persa, alemão, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Flores raras

Flores raras (Bruno Barreto, 2013)

No dia 30 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Flores raras, dirigido pela cineasta brasileiro Bruno Barreto.

Sinopse

A história de amor entre Lota de Macedo Soares (1910-1967), arquiteta e urbanista carioca, e Elisabeth Bishop (1911-1979), poeta estadunidense. Ambientado no Brasil dos anos de 1950 e 1960.

Flores raras. Brasil: 2013. Direção: Bruno Barreto. Roteiro: Matthew Chapman, Julie Sayres, Carolina Kotscho, baseado no romance “Flores raras e banalíssimas”, de Carmen L. Oliveira. Elenco: Glória Pires, Miranda Otto, Tracy Middendorf, Marcello Airoldi, Lola Kirke e outros. 118 min, em português e inglês.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Patrick 1,5

No dia 23 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Patrick 1,5, dirigido pela cineasta sueca Ella Lemhagen.

Sinopse

Um casal gay sueco aguarda a chegada, para adoção, de um órfão. A informação recebida da agência de adoção os leva à expectativa de um bebê de 18 meses de idade (1,5 ano). Descobrirão que a vírgula estava no lugar errado: o adotando tem 15 anos, com histórico de delinquência e comportamento homofóbico.

Patrik 1,5 (Patrick 1,5). Suécia: 2008.  Direção: Ella Lemhagen. Roteiro: Ella Lemhagen, baseado na peça Pjäsen Patrik 1,5, de Mikael Druker. Elenco: Gustaf Skarsgård, Torkel Petersson, Tom Ljungman, Amanda Davin, Annika Hallin e outros. 103 min, em sueco, com legenda em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

O homem do riquixá

O homem do riquixá (Hiroshi Inagaki, 1958)

No dia 16 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O homem do riquixá, dirigido pelo cineasta japonês Hiroshi Inagaki  (1905–1980).

Sinopse

Matsugoro é um pobre puxador de riquixá, cujo espírito alegre e otimista faz com que ele seja considerado o favorito da cidade.  Um dia, ele ajuda Toshio, um garoto ferido, sendo então contratado por seus pais, o capitão Kotaro e sua mulher Yoshiko, para transportá-lo em suas idas às sessões de terapia. Matsugoro termina apegando-se ao garoto e a seus pais.  Quando o Capt. Kotaro morre, Matsu, cumprindo uma promessa feita ao cliente morto, torna-se um segundo pai para Toshio, ajudando-o à medida que ele cresce e, ao mesmo tempo, apaixonando-se secretamente por Yoshiko. Mas Matsu sabe que há um verdadeiro abismo entre suas classes sociais e que ele não passará de um simples puxador de riquixá para a mãe e o filho.

Muhomatsu no issho (O homem do riquixá). Japão: 1958. Direção: Hiroshi Inagaki. Roteiro: Hiroshi Inagaki, Mansaku Itami, Shunsaku Iwashita. Elenco: Toshirô Mifune, Hideko Takamine, Hiroshi Akutagawa, Chishû Ryû, Chôko Iida e outros. 103 min, em japonês, com legenda em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos