Flores raras

Flores raras (Bruno Barreto, 2013)

No dia 30 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Flores raras, dirigido pela cineasta brasileiro Bruno Barreto.

Sinopse

A história de amor entre Lota de Macedo Soares (1910-1967), arquiteta e urbanista carioca, e Elisabeth Bishop (1911-1979), poeta estadunidense. Ambientado no Brasil dos anos de 1950 e 1960, período de grandes mudanças culturais e políticas no Brasil.

Flores raras. Brasil: 2013. Direção: Bruno Barreto. Roteiro: Matthew Chapman, Julie Sayres, Carolina Kotscho, baseado no romance “Flores raras e banalíssimas”, de Carmen L. Oliveira. Elenco: Glória Pires, Miranda Otto, Tracy Middendorf, Marcello Airoldi, Lola Kirke e outros. 118 min, em português e inglês.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Patrick 1,5

No dia 23 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Patrick 1,5, dirigido pela cineasta sueca Ella Lemhagen.

Sinopse

Um casal gay sueco aguarda a chegada, para adoção, de um órfão. A informação recebida da agência de adoção os leva à expectativa de um bebê de 18 meses de idade (1,5 ano). Descobrirão que a vírgula estava no lugar errado: o adotando tem 15 anos, com histórico de delinquência e comportamento homofóbico.

Patrik 1,5 (Patrick 1,5). Suécia: 2008.  Direção: Ella Lemhagen. Roteiro: Ella Lemhagen, baseado na peça Pjäsen Patrik 1,5, de Mikael Druker. Elenco: Gustaf Skarsgård, Torkel Petersson, Tom Ljungman, Amanda Davin, Annika Hallin e outros. 103 min, em sueco, com legenda em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

O homem do riquixá

O homem do riquixá (Hiroshi Inagaki, 1958)

No dia 16 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O homem do riquixá, dirigido pelo cineasta japonês Hiroshi Inagaki  (1905–1980).

Sinopse

Matsugoro é um pobre puxador de riquixá, cujo espírito alegre e otimista faz com que ele seja considerado o favorito da cidade.  Um dia, ele ajuda Toshio, um garoto ferido, sendo então contratado por seus pais, o capitão Kotaro e sua mulher Yoshiko, para transportá-lo em suas idas às sessões de terapia. Matsugoro termina apegando-se ao garoto e a seus pais.  Quando o Capt. Kotaro morre, Matsu, cumprindo uma promessa feita ao cliente morto, torna-se um segundo pai para Toshio, ajudando-o à medida que ele cresce e, ao mesmo tempo, apaixonando-se secretamente por Yoshiko. Mas Matsu sabe que há um verdadeiro abismo entre suas classes sociais e que ele não passará de um simples puxador de riquixá para a mãe e o filho.

Muhomatsu no issho (O homem do riquixá). Japão: 1958. Direção: Hiroshi Inagaki. Roteiro: Hiroshi Inagaki, Mansaku Itami, Shunsaku Iwashita. Elenco: Toshirô Mifune, Hideko Takamine, Hiroshi Akutagawa, Chishû Ryû, Chôko Iida e outros. 103 min, em japonês, com legenda em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Beijos proibidos

Baisers volés (Beijos proibidos)

No dia 9 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Beijos proibidos, dirigido pelo cineasta francês François Truffaut (1932 – 1984).

Sinopse

Beijos proibidos é o terceiro filme protagonizado pelo personagem Antoine Doinel, o alterego do cineasta François Truffaut. Com o fim do serviço militar, Antoine Doinel procura um emprego e um amor em Paris. Depois de trabalhar como atendente noturno num hotel, passa a ser um detetive particular. Entre suas atrapalhadas investigações, vive um romance com a muito sensata Christine Darbon. Ao som da linda canção Que reste-t-il de nos amours, de Charles Trenet (1913 – 2001), Truffaut faz uma linda homenagem ao amor, com muita ternura e humor.

Baisers volés (Beijos proibidos). França: 1968. Direção: François Truffaut. Roteiro: François Truffaut, Claude de Givray, Bernard Revon, inspirado no romance Le Lys dans la vallée de Honoré de Balzac (1799 – 1850). Elenco: Jean-Pierre Léaud, Delphine Seyrig, Claude Jade, Michael Lonsdale, Harry-Max e outros. 90 min, em francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Casa vazia

Casa Vazia (2004)

No dia 2 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Casa vazia, dirigido pelo cineasta coreano Kim Ki-Duk.

Sinopse

Um homem dedica-se a invadir residências quando os seus moradores estão fora, com intenção não de roubar ou destruir; mas antes pela sensação de passar uma noite em casa de estranhos. E antes de sair, retribui aos anfitriões que não conhece, lavando-lhes a roupa ou cuidando-lhes da casa. Mas a sua vida mudará quando entra na casa de um casal abastado e encontra alguém que desperta seu interesse.

Bin-jip (Casa vazia). Coreia do Sul, Japão: 2004. Direção e roteiro: Kim Ki-Duk. Elenco: Seung-yeon Lee, Hyun-kyoon Lee, Hyuk-ho Kwon, Jeong-ho Choi, Ju-seok Lee e outros. 88 min, em coreano, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 16 anos

A fonte das mulheres

A fonte das mulheres (2011)

No dia 26 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A fonte das mulheres, do cineasta judeu-romeno Radu Mihaileanu.

Sinopse

A história se passa nos tempos atuais, em uma remota e tradicional aldeia patriarcal, em algum lugar no Magrebe. A pequena aldeia, assombrada pela seca, o desemprego e a corrupção das autoridades locais – que atrasam a instalação da água encanada e da eletricidade – sobrecarrega de trabalho pesado suas mulheres. Sempre levando baldes nas costas, ladeira acima, ladeira abaixo, várias delas, grávidas, perdem os filhos. Leïla, esposa de Sami, jovem professor da escola local, começa um movimento de greve de sexo entre as mulheres para forçar os homens a trazer água para a aldeia. Há uma forte e brutal reação dos homens, apoiados por seus líderes. Com coragem e bom humor, as mulheres resistem até conseguir seu objetivo.

La source des femmes (A fonte das mulheres). Bélgica, Itália, França: 2011, 135 min, em árabe, com legendas em português. Direção: Radu Mihaileanu. Roteiro: Radu Mihaileanu, Alain-Michel Blanc, Catherine Ramberg. Elenco: Leïla Bekhti, Hafsia Herzi, Hiam Abbass. Distribuidor: Paris Filmes.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários, críticas

Como era verde o meu vale

Como era verde o meu vale (1941)

No dia 19 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Como era verde o meu vale, dirigido pelo cineasta estadunidense John Ford (1894 – 1973). 

Sinopse

Aos 60 anos, Huw Morgan relembra sua vida quando garoto em uma pequena cidade mineradora no sul do País de Gales, no início do século XX. Suas reminiscências revelam a desintegração de sua família, enquanto capta os sentimentos e problemas daquele tempo. Todos os homens da família são trabalhadores nas minas de carvão. Com a precariedade do vínculo empregatício e os baixos salários, os mineradores formam um sindicato e entram em greve.

How Green Was My Valley (Como era verde o meu vale). Estados Unidos: 1941, 118 min, P&B, em inglês e galês, com legendas em português. Direção: John Ford. Roteiro: Philip Dunne (1908 – 1992), baseado no romance homônimo de Richard Llewellyn (1906 – 1983). Elenco: Walter Pidgeon, Maureen O’Hara, Anna Lee, Donald Crisp.

Entrada franca

Livre para todos os públicos