O palácio francês

 

O palácio francês (Bertrand Tavernier, 2013)

Quai d’Orsay (O palácio francês). Direção: Bertrand Tavernier. Produção: Frédéric Bourboulon, Jérôme Seydoux. Roteiro: Abel Lanzac [Antonin Baudry], Christophe Blain, Bertrand Tavernier, baseado nos quadrinhos Quai d’Orsay – Chroniques diplomatiques, de Abel Lanzac e Christophe Blain. Música: Philippe Sarde. Fotografia: Jérôme Alméras. Edição: Guy Lecorne. Elenco: Thierry Lhermitte, Raphaël Personnaz, Niels Arestrup, Bruno Raffaelli, Julie Gayet e outros.
― 2013, França. 1h 53min. Em francês.

Graduado na École nationale d’administration, o jovem Arthur é chamado para trabalhar no Ministério das Relações Exteriores da França, à serviço de um ambicioso ministro. Arthur será responsável por elaborar o discurso do ministro, mas logo percebe que em meio a golpes políticos e vaidades pessoais, esta tarefa não será nada fácil.

[ficha técnica IMDB]

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

Anúncios

Paulo VI

 Paolo VI - Il Papa nella tempesta (2008)

No dia 24 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta a primeira parte do filme Paulo VI, o Papa na tempestade dirigido pelo cineasta italiano Fabrizio Costa.

A apresentação deste filme insere-se nas comemorações dos 50 anos do encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962 – 1965).

 

Sinopse

Cinebiografia de Giovanni Battista Montini (1897-1978), que se tornaria Paulo VI, ao suceder, em 1963, ao Papa João XXIII. O enredo tem como evento de base o sequestro e assassinato de Aldo Moro (1916-1978), amigo de Paulo VI. Por meio das memórias do pontífice, já octogenário, percorrem-se momentos chave da vida de Montini, imersos na vida da Igreja e do Mundo. A primeira parte apresenta o período em que atuou na Secretaria de Estado no Vaticano (1922 – 1954), sua atuação como assistente eclesiástico da Federação Universitária Católica Italiana (Fuci), sua atuação como Arcebispo de Milão (1954 – 1963), sua atuação como padre conciliar no Vaticano II. A primeira parte encerra-se com sua eleição ao papado e continuação do Concílio. A segunda parte mostra sua atuação firme na condução do Concílio, suas viagens pastorais e o enfrentamento da implementação das decisões do Concílio. Um retrato multiforme que percorre cinquenta anos de história que mudou a fisionomia da Igreja Católica no mundo contemporâneo.

Paolo VI, Il Papa nella tempesta – Paulo VI, o papa da misericórdia (Paulo VI, o Papa na tempestade). Itália: 2008. Direção: Fabrizio Costa. Roteiro: Francesco Arlanch, Maura Nuccetelli, Gianmario Pagano. Elenco: Fabrizio Gifuni, Mauro Marino, Antonio Catania, Mariano Rigillo, Claudio Botosso e outros. Música: Marco Frisina. Fotografia: Giovanni Galasso. Edição: Nicola Bonifati, Alessandro Corradi. Figurino: Enrica Biscossi. 102 min (1ª parte), 96 min (2ª parte), em italiano, latim, com legenda em português.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Textos de apoio

Amém

Amém (Costa-Gavras,_2002)

No dia 30 de julho, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural de Brasília (jesuítas), o Cine-Fórum apresenta Amém, dirigido pelo grego, naturalizado francês, Costa-Gavras.

Amém é apresentado na programação celebrativa de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus.

Mestre, repreende os teus discípulos.
Ele respondeu: Se estes se calarem, clamarão as pedras!

Lucas 19, 39-40

Sinopse

O oficial alemão Kurt Gerstein – químico responsável pelo desenvolvimento do gás Zyklon B, com o qual é feito o tratamento da água a ser consumida pelas tropas alemãs durante a Segunda Guerra Mundial – toma conhecimento de seu uso em câmaras de extermínio, nos campos de concentração nazistas. Horrorizado pelo que vê, busca caminhos para a denúncia a partir de seus contatos com lideranças cristãs. O padre jesuíta Riccardo Fontana, funcionário da Nunciatura Apostólica na Alemanha, engaja-se na busca de caminhos diplomáticos para a denúncia dos fatos relatados pelo oficial. Valores éticos, embates ideológicos, estratégias diplomáticas, interesses políticos e jogos de poder se entrelaçam. Denunciar, a qualquer custo, passa a ser uma questão ética inadiável para o jovem jesuíta, mesmo em desobediência a seus superiores hierárquicos.

Amen Amém ― Costa-Gavras (2002) França, Alemanha, Romênia. Roteiro: Costa-Gavras, Jean-Claude Grumberg, baseado na peça “Der Stellvertreter”, de Rolf Hochhuth. Elenco: Ulrich Tukur, Mathieu Kassovitz, Ulrich Mühe. (132 min). Idioma: Inglês; francês; italiano; alemão, legendas em português.

 ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 14 anos

Críticas e comentários

Trailer


O jardineiro fiel

Imagem do filme The Constant Gardener

Nesta terça-feira, 6 de março, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme O jardineiro fiel, dirigido pelo brasileiro Fernando Meirelles.

O jardineiro fiel inicia a série de três sessões que o Cine-Fórum apresentará no mês de março em consonância com a 49ª Campanha da Fraternidade, cujo tema é «Fraternidade e Saúde Pública», com o lema «Que a saúde se difunda sobre a terra».

A partir da apreciação d’O jardineiro fiel, buscaremos refletir sobre saúde pública, neocolonialismo e interesses internacionais. O comentário será feito pelo jesuíta Bernard Lestienne.

No dia 13, terça-feira, teremos O solista (Joe Wright, 2009), com comentários da psicanalista Graça Barbosa. No dia 20, terça-feira, teremos o filme mexicano Maus Hábitos (Simón Bross, 2007), com comentários do médico Ricardo Januzzi.

Sinopse

Justin Quayle – diplomata por profissão e jardineiro por hobby – tem sua rotina alterada quando sua esposa é brutalmente assassinada. Decidido a investigar o que houve, ele descobre que o crime foi queima de arquivo, comandada por uma grande empresa farmacêutica que usa africanos como cobaias para testes de remédios contra tuberculose. O filme é uma adaptação do livro homônimo de John Le Carré.

The Constant Gardener • O jardineiro fiel ― Fernando Meirelles (2005) Reino Unido; Alemanha. Elenco: Ralph Fiennes, Rachel Weisz, Daniele Harford, Danny Huston, Hubert Koundé. (129 min)

Classificação indicativa
Não recomendado para menores de 14 anos

Críticas e comentários

Trailer