Cinema Paradiso

Cinema Paradiso (Giuseppe Tornatore, 1988)

13 jun.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Nuovo cinema Paradiso (Cinema Paradiso). Direção: Giuseppe Tornatore. Produção: Franco Cristaldi, Giovanna Romagnoli. Roteiro: Giuseppe Tornatore, Vanna Paoli. Música: Ennio Morricone. Fotografia: Blasco Giurato. Edição: Mario Morra. Design de produção: Andrea Crisanti. Elenco: Antonella Attili, Enzo Cannavale, Isa Danieli, Leo Gullotta, Marco Leonardi e outros.
― 1988, Itália, França. 2h 35min. Em italiano, com legendas em português.

O menino Toto se encanta pelo cinema e inicia uma grande amizade com o projecionista de sua pequena cidade. Já adulto e agora um cineasta bem-sucedido, Toto volta a lembrar de sua infância ao descobrir que seu velho amigo faleceu.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Anúncios

A audiência

A audiência (Marco Ferreri, 1972)

14 DE MARÇO
terça-feira − 19h30

L’Udienza (A audiência). Direção: Marco Ferreri (1928–1997). Produção: Franco Cristaldi. Roteiro: Marco Ferreri, Rafael Azcona, Dante Matelli. Música: Teo Usuelli. Fotografia: Mario Vulpiani. Edição: Giuliana Trippa. Elenco: Enzo Jannacci, Claudia Cardinale, Ugo Tognazzi, Michel Piccoli, Vittorio Gassman.
― Itália, França, 1972. 1h 51min. Em italiano, francês, latim, com legendas em português.

Amedeo, um homem comum, deseja falar com o Papa. A burocracia e forças estranhas são obstáculos para ele realizar seu desejo. Livremente inspirado no romance Das Schloss (O castelo), de Franz Kafka (1883–1924).

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

O juízo universal

O juízo universal (Vittorio De Sica, 1961)

16 AGOSTO
terça-feira − 19h30

Il giudizio universale (O juízo universal). Direção: Vittorio De Sica. Produção: Dino De Laurentiis. Roteiro: Cesare Zavattini. Elenco: Alberto Sordi, Vittorio Gassman, Anouk Aimée, Fernandel, Nino Manfredi e outros.
― Itália, França, 1961. P&B, 1h 35min. Em italiano, com legendas em português.

Tudo pode acontecer no dia do Juízo Final em Nápoles. Quando uma voz poderosa que vem do céu anuncia que o dia fatídico chegou, os moradores da cidade reagem cada um a sua maneira… É o início de uma série de situações divertidas e inusitadas.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 Críticas e comentários

Barrabás

Barrabás (Richard Fleischer, 1961)
22 MARÇO
terça-feira − 19h30

Barabbas (Barrabás). Direção: Richard Fleischer. Produção: Dino De Laurentiis. Roteiro: Christopher Fry, baseado no romance “Barabbas”, de Pär Lagerkvist (1891–1974). Elenco: Anthony Quinn, Silvana Mangano, Arthur Kennedy, Katy Jurado, Harry Andrews e outros.
― Itália, Estados Unidos, 1961. Cor, 137 min. Distribuição: Columbia TriStar. Em inglês, com legendas em português.

História fictícia sobre Barrabás, baseada na passagem do Novo Testamento, quando Poncio Pilatos pergunta à população de Jerusalém quem deveria ganhar liberdade, Jesus de Nazaré ou Barrabás, um ladrão e assassino que acaba sendo libertado pela voz do povo. Apesar de sua saída da prisão, o evento o persegue pelo resto da vida. Depois de ver a sua ex-mulher, Raquel, ser apedrejada até a morte por sua crença em Jesus, Barrabás retorna à vida de ladrão. Preso de novo, ele é levado para as minas de enxofre e, em seguida, para uma escola para gladiadores, onde testemunha outra amiga entregando sua vida em nome de Jesus. E somente próximo de seu fim, quando Barrabás se vê a caminho da crucificação, é que ele descobre a sua fé. Baseado no romance “Barabbas” (1950), de Pär Lagerkvist.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos