A audiência

A audiência (Marco Ferreri, 1972)

14 DE MARÇO
terça-feira − 19h30

L’Udienza (A audiência). Direção: Marco Ferreri (1928–1997). Produção: Franco Cristaldi. Roteiro: Marco Ferreri, Rafael Azcona, Dante Matelli. Música: Teo Usuelli. Fotografia: Mario Vulpiani. Edição: Giuliana Trippa. Elenco: Enzo Jannacci, Claudia Cardinale, Ugo Tognazzi, Michel Piccoli, Vittorio Gassman.
― Itália, França, 1972. 1h 51min. Em italiano, francês, latim, com legendas em português.

Amedeo, um homem comum, deseja falar com o Papa. A burocracia e forças estranhas são obstáculos para ele realizar seu desejo. Livremente inspirado no romance Das Schloss (O castelo), de Franz Kafka (1883–1924).

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Anúncios

Paulo VI (parte 2)

Paolo VI - Il Papa nella tempesta (2008)

No dia 1º de dezembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta a segunda parte do filme Paulo VI, o Papa na tempestade dirigido pelo cineasta italiano Fabrizio Costa.

A apresentação deste filme insere-se nas comemorações dos 50 anos do encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962 – 1965).

 

Sinopse

Cinebiografia de Giovanni Battista Montini (1897-1978), que se tornaria Paulo VI, ao suceder, em 1963, ao Papa João XXIII. O enredo tem como evento de base o sequestro e assassinato de Aldo Moro (1916-1978), amigo de Paulo VI. Por meio das memórias do pontífice, já octogenário, percorrem-se momentos chave da vida de Montini, imersos na vida da Igreja e do Mundo. A primeira parte apresenta o período em que atuou na Secretaria de Estado no Vaticano (1922 – 1954), sua atuação como assistente eclesiástico da Federação Universitária Católica Italiana (Fuci), sua atuação como Arcebispo de Milão (1954 – 1963), sua atuação como padre conciliar no Vaticano II. A primeira parte encerra-se com sua eleição ao papado e continuação do Concílio. A segunda parte mostra sua atuação firme na condução do Concílio, suas viagens pastorais e o enfrentamento da implementação das decisões do Concílio. Um retrato multiforme que percorre cinquenta anos de história que mudou a fisionomia da Igreja Católica no mundo contemporâneo.

Paolo VI, Il Papa nella tempesta – Paulo VI, o papa da misericórdia (Paulo VI, o Papa na tempestade). Itália: 2008. Direção: Fabrizio Costa. Roteiro: Francesco Arlanch, Maura Nuccetelli, Gianmario Pagano. Elenco: Fabrizio Gifuni, Mauro Marino, Antonio Catania, Mariano Rigillo, Claudio Botosso e outros. Música: Marco Frisina. Fotografia: Giovanni Galasso. Edição: Nicola Bonifati, Alessandro Corradi. Figurino: Enrica Biscossi. 102 min (1ª parte), 96 min (2ª parte), em italiano, latim, com legenda em português.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Textos de apoio

Paulo VI

 Paolo VI - Il Papa nella tempesta (2008)

No dia 24 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta a primeira parte do filme Paulo VI, o Papa na tempestade dirigido pelo cineasta italiano Fabrizio Costa.

A apresentação deste filme insere-se nas comemorações dos 50 anos do encerramento do Concílio Ecumênico Vaticano II (1962 – 1965).

 

Sinopse

Cinebiografia de Giovanni Battista Montini (1897-1978), que se tornaria Paulo VI, ao suceder, em 1963, ao Papa João XXIII. O enredo tem como evento de base o sequestro e assassinato de Aldo Moro (1916-1978), amigo de Paulo VI. Por meio das memórias do pontífice, já octogenário, percorrem-se momentos chave da vida de Montini, imersos na vida da Igreja e do Mundo. A primeira parte apresenta o período em que atuou na Secretaria de Estado no Vaticano (1922 – 1954), sua atuação como assistente eclesiástico da Federação Universitária Católica Italiana (Fuci), sua atuação como Arcebispo de Milão (1954 – 1963), sua atuação como padre conciliar no Vaticano II. A primeira parte encerra-se com sua eleição ao papado e continuação do Concílio. A segunda parte mostra sua atuação firme na condução do Concílio, suas viagens pastorais e o enfrentamento da implementação das decisões do Concílio. Um retrato multiforme que percorre cinquenta anos de história que mudou a fisionomia da Igreja Católica no mundo contemporâneo.

Paolo VI, Il Papa nella tempesta – Paulo VI, o papa da misericórdia (Paulo VI, o Papa na tempestade). Itália: 2008. Direção: Fabrizio Costa. Roteiro: Francesco Arlanch, Maura Nuccetelli, Gianmario Pagano. Elenco: Fabrizio Gifuni, Mauro Marino, Antonio Catania, Mariano Rigillo, Claudio Botosso e outros. Música: Marco Frisina. Fotografia: Giovanni Galasso. Edição: Nicola Bonifati, Alessandro Corradi. Figurino: Enrica Biscossi. 102 min (1ª parte), 96 min (2ª parte), em italiano, latim, com legenda em português.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Textos de apoio

Habemus Papam

 

Habemus papam

No dia 10 de março, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum do Centro Cultural de Brasília (Jesuítas) apresenta o filme Habemus Papam, dirigido pelo italiano Nanni Moretti.

Sinopse

Eleito papa, o cardeal Melvile precisa dirigir-se aos fiéis para o anúncio de sua eleição e para a bênção Urbi et Orbi. No momento crucial em que é feito o anúncio habemus papam (temos um papa), o papa eleito desaba em profunda crise e recusa-se a assumir o novo múnus pastoral. A Cúria Romana sente-se abalada e o mundo está consternado com a ausência do novo pontífice. Providências são tomadas, um psicanalista é chamado ao Vaticano, mas Melvile rompe o cerco e foge para misturar-se aos habitantes de Roma em busca de uma autocompreensão existencial num mundo em mutação.

Habemus Papam. Itália, França: 2011, 102 min, em italiano, alemão, latim, inglês, espanhol, polonês, francês, com legendas em português. Direção: Nanni Moretti. Elenco: Michel Piccoli, Jerzy Stuhr, Renato Scarpa, Franco Graziosi.

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

Indicação de leituras

As sandálias do pescador

As sandálias do pescador

No dia 3 de março, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme As sandálias do pescador, dirigido pelo cineasta americano Michael Anderson, com Anthony Quinn (1915–2001). 

Sinopse

Depois de vários anos preso em um campo de trabalhos forçados na Sibéria, o padre Kiril Lakota é enviado à Roma, onde será criado cardeal. Com a morte do papa, Kiril torna-se um forte candidato à sucessão. Diante das pressões políticas do mundo, no período da Guerra Fria, quais as implicações de um papa vindo de um país comunista?
Baseado em romance homônimo de Morris West (1916 – 1999).

The Shoes of the Fisherman (As sandálias do pescador). Estados Unidos: 1968, 162 min, em inglês, latim, com legendas em português. Direção: Michael Anderson. Produtora: Metro-Goldwyn-Mayer (MGM). Roteiro: John Patrick, James Kennaway, baseado no romance homônimo de Morris L. West. Elenco: Anthony Quinn, Laurence Olivier, Oskar Werner, Vittorio De Sica.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

O Escarlate e o Negro

O Escarlate e o Negro

No dia 24 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O Escarlate e o Negro, dirigido pelo cineasta americano Jerry London, com Gregory Peck (1916–2003). 

Sinopse

Cinebiografia de Monsenhor Hugh O’Flaherty (1898 – 1963), padre irlandês, importante figura da resistência ao nazismo, alto funcionário da Cúria Romana no pontificado de Pio XII. Durante a Segunda Guerra Mundial, foi responsável por salvar milhares de soldados aliados e judeus. Devido à sua capacidade de evitar as armadilhas dos nazistas, Monsenhor O’Flaherty ganhou o apelido de Pimpinela Escarlate do Vaticano, em alusão ao herói da novela The Scarlet Pimpernel de Emma Orczy.

The Scarlet and the Black (O escarlate e o negro). Estados Unidos, Reino Unido, Itália: 1983, 143 min, em inglês, alemão, italiano, com legendas em português. Direção: Jerry London. Roteiro: David Butler, baseado no livro de J.P. Gallagher. Elenco: Gregory Peck, Christopher Plummer, John Gielgud.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Amém

Amém (Costa-Gavras,_2002)

No dia 30 de julho, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural de Brasília (jesuítas), o Cine-Fórum apresenta Amém, dirigido pelo grego, naturalizado francês, Costa-Gavras.

Amém é apresentado na programação celebrativa de Santo Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus.

Mestre, repreende os teus discípulos.
Ele respondeu: Se estes se calarem, clamarão as pedras!

Lucas 19, 39-40

Sinopse

O oficial alemão Kurt Gerstein – químico responsável pelo desenvolvimento do gás Zyklon B, com o qual é feito o tratamento da água a ser consumida pelas tropas alemãs durante a Segunda Guerra Mundial – toma conhecimento de seu uso em câmaras de extermínio, nos campos de concentração nazistas. Horrorizado pelo que vê, busca caminhos para a denúncia a partir de seus contatos com lideranças cristãs. O padre jesuíta Riccardo Fontana, funcionário da Nunciatura Apostólica na Alemanha, engaja-se na busca de caminhos diplomáticos para a denúncia dos fatos relatados pelo oficial. Valores éticos, embates ideológicos, estratégias diplomáticas, interesses políticos e jogos de poder se entrelaçam. Denunciar, a qualquer custo, passa a ser uma questão ética inadiável para o jovem jesuíta, mesmo em desobediência a seus superiores hierárquicos.

Amen Amém ― Costa-Gavras (2002) França, Alemanha, Romênia. Roteiro: Costa-Gavras, Jean-Claude Grumberg, baseado na peça “Der Stellvertreter”, de Rolf Hochhuth. Elenco: Ulrich Tukur, Mathieu Kassovitz, Ulrich Mühe. (132 min). Idioma: Inglês; francês; italiano; alemão, legendas em português.

 ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 14 anos

Críticas e comentários

Trailer