Os girassóis da Rússia

Os girassóis da Rússia (Vittorio De Sica, 1970)
20 DE SETEMBRO
terça-feira − 19h30

I girasoli (Os girassóis da Rússia). Direção: Vittorio De Sica. Produção: Arthur Cohn; Carlo Ponti. Roteiro: Tonino Guerra, Cesare Zavattini, Giorgi Mdivani. Música: Henry Mancini. Fotografia: Giuseppe Rotunno. Edição: Adriana Novelli. Elenco: Sophia Loren, Marcello Mastroianni, Lyudmila Savelyeva, Galina Andreeva, Anna Carena, Nadya Serednichenko.
― Itália, França, União Soviética, 1970. 1h 47min. Em italiano, inglês, russo.

Quando termina a Segunda Guerra Mundial, Giovanna não consegue aceitar que seu marido tenha morrido em combate na Rússia. Então, ela decide viajar atrás de seu paradeiro, passando por cidades e campos de girassóis. Quando enfim ela o encontra, percebe que algo mudou na relação entre eles.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

#SophiaLoren82

Anúncios

Cristo parou em Eboli

Cristo parou em Eboli (Francesco Rosi, 1979)

No dia 10 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Cristo parou em Eboli, dirigido pelo cineasta italiano Francesco Rosi (1922–2015).

Sinopse

Inspirado no romance autobiográfico de Carlo Levi (1902-1975), o filme narra a vida de um médico e escritor antifascista colocado sob prisão domiciliar em 1935 em uma remota vila italiana. Proibido de exercer qualquer atividade, incluindo a prática da medicina, ele descobre o mundo camponês, longe dos círculos intelectuais, até ser libertado dois anos depois já tendo ganhado a estima dos agricultores pobres da região.

Cristo si è fermato a Eboli (Cristo parou em Eboli). Itália, França: 1979. Direção: Francesco Rosi. Roteiro: Francesco Rosi, Tonino Guerra, Raffaele La Capria, baseado no romance autobiográfico de Carlo Levi “Cristo si è fermato a Eboli”, de 1945. Elenco: Gian Maria Volonté, Irene Papas, Paolo Bonacelli, Alain Cuny, Lea Massari e outros. Música: Piero Piccioni. Fotografia: Pasqualino De Santis. Edição: Ruggero Mastroianni. 150 min, em italiano, com legenda em português.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Entrada franca

Comentários, críticas, textos de apoio

A noite de são Lourenço (1982)

La notte di San Lorenzo (Paolo Taviani, Vittorio Taviani, 1982)

No dia 6 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum do Centro Cultural de Brasília (jesuítas) apresenta o filme A noite de são Lourenço, dirigido pelos irmãos Paolo e Vittorio Taviani.

A apresentação do filme A noite de são Lourenço encerra a retrospectiva histórica feita ao longo do ano de 2012.

Sinopse

Os irmãos Taviani retornam à II Guerra a partir da perspectiva daqueles que estão derrotados, independente do vencedor. Todo trabalho deles aqui parece existir em função de colocar a guerra em suspenso. O tom de fábula impera – e este é o raro caso de filme onde o olhar infantil é tornado elemento estético – e é servido muito bem pela mistura de realismo e absurdo imposta pelos cineastas (o filme se estrutura como uma espécie de Odisseia às avessas). Trata-se daquela raridade: um filme de guerra sobre o que acontece às margens do conflito (o que a ênfase dos cineastas nas crianças e idosos deixa mais aparente). A Guerra em si permanece ao mesmo tempo fora do quadro e como um espectro sobre a ação até finalmente retornar de forma caótica e absurda. (Filipe Furtado)

Baseado livremente no episódio do Massacre da Catedral de San Miniato, na Província de Pisa, na região da Toscana, em 22 de julho de 1944.

La notte di San LorenzoA noite de são Lourenço ― Paolo Taviani, Vittorio Taviani (1982) Itália.  Roteiro: Paolo Taviani, Vittorio Taviani, Giuliani G. De Negri. Colaboração de Tonino Guerra. Elenco: Omero Antonutti, Margarita Lozano, Claudio Bigagli. (105 min)

Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Indicação de leituras

Trailer