Desajustados

Desajustados  - Dagur Kári.jpg

30 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Fúsi (Desajustados). Direção: Dagur Kári. Produção: Agnes Johansen, Baltasar Kormákur. Roteiro: Dagur Kári. Música: Karsten Fundal, Dagur Kári. Fotografia: Rasmus Videbæk. Edição: Olivier Bugge Coutté Andri Steinn. Elenco: Gunnar Jónsson, Ilmur Kristjánsdóttir, Sigurjón Kjartansson, Margrét Helga Jóhannsdóttir, Franziska Una Dagsdóttir e outros.
― 2015, Islândia, Dinamarca. 1h 34min. Em islandês, com legendas em português.

Fúsi tem 43 anos, é corpulento, tímido e solitário. Mora com a mãe, trabalha no setor de bagagens de um aeroporto. Seu único amigo, casado e com filhos, compartilha com ele a paixão por colecionar miniaturas de soldados e tanques da Segunda Guerra Mundial. A rotina é alterada quando Fúsi conhece Sjöfn, em um curso de dança de salão.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

Críticas e comentários

 

Anúncios

As três máscaras de Eva

As três máscaras de Eva - Nunnally Johnson

23 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

The three faces of Eve (As três máscaras de Eva). Direção: Nunnally Johnson. Produção: Nunnally Johnson. Roteiro: Nunnally Johnson, baseado no livro “The three faces of Eve, a case of multiple personality” (1957), de Corbett Thigpen e Hervey M. Cleckley Música: Robert Emmett Dolan. Fotografia: Stanley Cortez. Edição: Marjorie Fowler. Elenco: Joanne Woodward, David Wayne, Lee J. Cobb, Edwin Jerome, Alena Murray e outros.
― 1957, Estados Unidos. P&B, 1h 31min. Em inglês, com legendas em português.

Eva White sofre de constantes dores de cabeça e desmaios e resolve se consultar com o psiquiatra dr. Luther. Após ser hipnotizada, descobre ter duas outras personalidades: uma mulher impulsiva e cheia de vida e uma garota submissa à própria mãe.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

 

Leolo… porque eu sonho…

16 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Léolo (Leolo… porque eu sonho…). Direção e roteiro: Jean-Claude Lauzon (1953–1997). Produção: Aimée Danis, Lyse Lafontaine. Fotografia: Guy Dufaux. Edição: Michel Arcand. Elenco: Maxime Collin, Gilbert Sicotte, Ginette Reno, Denys Arcand, Julien Guiomar e outros.
― 1992, Canadá, França. 1h 47min. Em francês, com legendas em português.

Bairro operário de Montréal, nos anos 1950. Em uma família pobre, uma loucura hereditária que vem do avô e passa pelo pai atinge inexorável as quatro crianças da família. Léolo, o caçula, tenta escapar, refugiando-se na fantasia. A partir de sua fantasia onde sua mãe é fertilizada por um tomate portador do esperma de um camponês da Sicília, Léolo nega a nacionalidade quebequense e se declara italiano. Mergulhado em seu próprio mundo de fantasias, o menino tenta provar que não está destinado à loucura.

« Parce que moi je rêve,
moi je ne le suis pas. »

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

A hora do lobo

9 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Anteriormente programado para dia 2 de maio,
foi transferido para 9 de maio, por questões técnicas.

Vargtimmen (A hora do lobo). Direção e roteiro: Ingmar Bergman. Produção: Lars-Owe Carlberg. Música: Lars Johan Werle. Fotografia: Sven Nykvist. Edição: Ulla Ryghe. Elenco: Max von Sydow, Liv Ullmann, Gertrud Fridh, Georg Rydeberg, Erland Josephson e outros.
― 1968, Suécia. P&B, 1h 30min. Em sueco, norueguês, com legendas em português.

Um pintor e sua esposa vão morar em uma ilha afastada e conhecem um misterioso grupo de pessoas que passam a trazer angústias ainda maiores à vida do casal, que já estava atormentado pelos pesadelos do pintor e por conflitos psicológicos. Durante a hora do lobo, entre a meia-noite e a aurora, ele conta para sua esposa suas memórias mais dolorosas, e começa a questionar a própria lucidez.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Ciúme à italiana

2 maio
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília
Programado para dia 9 de maio, foi antecipado para 2 de maio, por questões técnicas.

Dramma della gelosia : tutti i particolari in cronaca (Ciúme à italiana). Direção: Ettore Scola. Produção: Pio Angeletti, Adriano De Micheli. Roteiro: Agenore Incrocci, Furio Scarpelli, Ettore Scola. Música: Armando Trovajoli. Fotografia: Carlo Di Palma. Edição: Alberto Gallitti. Elenco: Marcello Mastroianni, Monica Vitti, Giancarlo Giannini, Manuel Zarzo, Marisa Merlini e outros.
― 1970, Itália, Espanha. 1h 47min. Em italiano, com legendas em português.

Oreste, um operário de meia idade, conhece Adelaide, e logo se apaixona. O caso desperta a ira de Antônia a esposa de Oreste. A situação fica ainda pior quando Adelaide começa a namorar o jovem Nello, amigo de Oreste. Tomado por um violento ciúme, Oreste vai gradualmente perdendo o controle de suas emoções.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Luta antimanicomial

Dia 18 de maio, no Brasil, celebra-se o Dia da Luta Antimanicomial.
Aderindo a essa causa, o Cine-Fórum apresenta em maio alguns filmes que podem contribuir com o debate sobre saúde mental.

Maio

  2 — Ciúme à italiana (Ettore Scola, 1970)
  9 — A hora do lobo (Ingmar Bergman, 1968) 50 anos
16 — Léolo (Jean-Claude Lauzon, 1992)
23 — As três máscaras de Eva (Nunnally Johnson, 1957)
30 — Desajustados (Dagur Kári, 2015)

Nathalie Granger

27 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

Nathalie Granger. Direção e roteiro: Marguerite Duras. Produção: Jean-Michel Carré, Luc Moullet. Fotografia: Ghislain Cloquet. Edição: Nicole Lubtchansky. Elenco: Jeanne Moreau, Lucia Bosé, Gérard Depardieu, Luce Garcia-Ville, Valerie Mascolo e outros.
― 1972, França. P&B, 1h 23min. Em francês, com legendas em português.

Uma tarde na vida de duas mulheres, fechadas em casa e em silêncio. Uma delas, Isabelle Granger, está preocupada com o comportamento violento da filha Nathalie. Do mundo exterior surgem ecos via rádio (a presença de um par de assassinos na região) e, mais tarde, um vendedor de máquinas de lavar. Na singularidade narrativa de Duras, sobressaem uma poderosa impressão de um tempo suspenso, parado, e uma angústia contida.

 

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Críticas e comentários