Ladrões de bicicleta

Ladri di Bicilette

6 jun.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Ladri di bicilette (Ladrões de bicicleta). Direção: Vittorio De Sica (1901–1974). Produção: Giuseppe Amato, Vittorio De Sica. Roteiro: Cesare Zavattini, Oreste Biancoli, Suso Cecchi D’Amico, Vittorio De Sica, Adolfo Franci, Gherardo Gherardi, Gerardo Guerrieri, baseado no romance homônimo de Luigi Bartolini. Música: Alessandro Cicognini. Fotografia: Carlo Montuori. Edição: Eraldo Da Roma. Elenco: Lamberto Maggiorani, Enzo Staiola, Lianella Carell, Elena Altieri, Gino Saltamerenda e outros.
― 1948, Itália. 1h 29min. Em Italiano, com legendas em português

Em Roma um trabalhador de origem humilde, Antonio Ricci, luta para sustentar a família. Precisando de uma bicicleta para começar em um novo emprego, Ricci penhora as roupas de cama da casa. Para desespero da família, a bicicleta é roubada e Antonio sai junto com o filho Bruno para procurá-la pela cidade.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

O mundo de Apu

25 DE ABRIL
terça-feira − 19h30

Apur Sansar (O mundo de Apu). Direção: Satyajit Ray. Roteiro: Satyajit Ray, baseado no romance autobiográficos Aparajito, de Bibhutibhushan Bandyopadhyay (1894 – 1950). Música: Ravi Shankar. Fotografia: Subrata Mitra. Edição: Dulal Dutta. Direção de arte: Bansi Chandragupta. Elenco: Soumitra Chatterjee, Sharmila Tagore, Alok Chakravarty, Swapan Mukherjee.
― Índia, 1959. P&B, 1h 45min. Em Bengali, com legendas em português.

Terceiro e último filme da Trilogia Apu. Apu já é adulto, vive pobremente e sonha ser escritor. Circunstâncias particulares levam-no a casar-se, mas a mulher morre de parto. Apu confia o filho aos sogros, joga fora o manuscrito do seu livro e sai para o mundo. Alguns anos depois, reencontra-se com o filho, ainda criança.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Pais e filhos

Pais e filhos (Hirokazu Koreeda, 2013)
4 ABRIL
terça-feira − 19h30

そして父になる [Soshite chichi ni naru] (Pais e filhos). Direção: Hirokazu Koreeda. Produção: Kaoru Matsuzaki, Hijiri Taguchi. Roteiro: Hirokazu Koreeda. Elenco: Masaharu Fukuyama, Machiko Ono, Yôko Maki, Rirî Furankî, Jun Fubuki e outros.
― Japão, 2013. Cor, 121 min. Em japonês, com legendas em português. Classificação indicativa: Livre.

Um arquiteto obcecado com o sucesso profissional, busca formar com a jovem esposa e o filho de 6 anos uma família ideal. A descoberta de uma troca ocorrida na maternidade, altera a rotina da família. Quando nasceu, seu filho foi trocado por engano com a criança de outra família. Ao descobrir que está criando o filho de outro homem há seis anos, toda a sua felicidade desmorona e ele tem de lidar com uma difícil escolha.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

As invasões bárbaras

As invasões bárbaras (Denys Arcand, 2003)

15 DE NOVEMBRO
terça-feira − 19h30

Les invasions barbares (As invasões bárbaras). Direção e roteiro: Denys Arcand. Produção: Daniel Louis, Denise Robert, Fabienne Vonier. Música: Pierre Aviat. Fotografia: Guy Dufaux. Edição: Isabelle Dedieu. Elenco: Rémy Girard, Stéphane Rousseau, Marie-Josée Croze, Marina Hands, Dorothée Berryman e outros.
― Canadá, França, 2003. 1h 39min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Considerado um dos melhores filmes de 2003, As Invasões Bárbaras é um filme raro. Emocionante, sem ser piegas, e ao mesmo tempo moderno. O diretor Denys Arcand promove o reencontro dos amigos de O Declínio do Império Americano dezoito anos depois. Eles estão juntos novamente para se despedir de Rémy, abatido por um câncer raro. A reunião é promovida por seu filho. Sensível, envolvente, com um humor afinadíssimo e muito inteligente.

Não recomendado para menores de 16 anos

Críticas e comentários