Rain man


8 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Rain Man. Direção: Barry Levinson. Produção: Mark Johnson. Roteiro: Barry Morrow, Ronald Bass. Música: Hans Zimmer. Fotografia: John Seale. Edição: Stu Linder. Design de produção: Ida Random. Direção de arte: William A. Elliott. Cenário: Linda DeScenna. Figurino: Bernie Pollack. Elenco: Dustin Hoffman, Tom Cruise, Valeria Golino, Gerald R. Molen, Jack Murdock e outros.
― 1988, Estados Unidos. 2h 13min. Em inglês, italiano, com legendas em português.

O insensível Charlie Babbitt espera receber uma grande herança após a morte de seu pai. Mas Raymond, seu irmão mais velho internado em uma instituição médica, alguém cuja existência Charlie ignorava até então, é quem recebe toda a fortuna. Decepcionado e desesperado, Babbitt sequestra Raymond, ao longo do convívio forçado brota a percepção do vínculo entre os dois.

Livre para todos os públicos

 Críticas e comentários

Trilha sonora no Spotify

Anúncios

O prisioneiro de Zenda


23 DE MAIO
terça-feira − 19h30

The Prisoner of Zenda (O prisioneiro de Zenda). Direção: Richard Quine. Produção: Walter Mirisch. Roteiro: Dick Clement, Ian La Frenais, Edward E. Rose, baseado no romance The Prisoner of Zenda (1894), de Anthony Hope (1863–1933). Música: Henry Mancini. Fotografia: Arthur Ibbetson. Edição: Byron Buzz Brandt. Elenco: Peter Sellers, Lynne Frederick, Lionel Jeffries, Elke Sommer, Gregory Sierra e outros.
― 1979, Estados Unidos, Universal Pictures. 1h 48min. Em inglês, com legendas em português.

O rei de Ruritânia, Rudolf IV (Peter Sellers), morre no dia do seu aniversário dando lugar aos previsíveis problemas de sucessão. Rudolf V, aliás Rudy (Peter Sellers), é um boêmio e que mantém devaneios amorosos com a mulher de um duque (Jeremy Kemp). O seu meio-irmão (Stuart Wilson) não está disposto a permitir que Rudy seja coroado rei, pelo que tenta matá-lo a todo o custo. Depois de várias tentativas de assassinato, o homem de confiança de Rudy encontra o condutor de carruagem Syd Frewin (Peter Sellers), sósia de Rudolf V, para o substituir até ao dia da coroação.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Outras versões de O Prisioneiro de Zenda

  • The Prisoner of Zenda. Direção: Hugh Ford, Edwin S. Porter. Elenco: James K. Hackett, Beatrice Beckley, David Torrence.
    ― 1913, Estados Unidos, Famous Players Film Company. P&B, silencioso.
  • The Prisoner of Zenda. Direção: George Loane Tucker. Elenco: Henry Ainley, Jane Gail, Gerald Ames.
    ― 1915, Reino Unido, London Film Productions. P&B, silencioso.
  • The Prisoner of Zenda. Direção: Rex Ingram. Elenco: Lewis Stone, Alice Terry, Robert Edeson.
    ― 1922, Estados Unidos, Metro Pictures Corporation. P&B, silencioso.
  • The Prisoner of Zenda. Direção: John Cromwell, W.S. Van Dyke. Elenco: Ronald Colman, Madeleine Carroll, C. Aubrey Smith.
    ― 1937, Estados Unidos, Selznick International Pictures. P&B.
  • The Prisoner of Zenda. Direção: Richard Thorpe. Elenco: Stewart Granger, Deborah Kerr, Louis Calhern.
    ― 1952, Estados Unidos, Metro-Goldwyn-Mayer. Technicolor.

Todos contra Zucker!

2 DE MAIO
terça-feira − 19h30


Alles auf Zucker! (Todos contra Zucker). Direção: Dani Levy. Produção: Manuela Stehr. Roteiro: Dani Levy, Holger Franke. Música: Niki Reiser. Fotografia: Carl-Friedrich Koschnick. Edição: Elena Bromund. Elenco: Henry Hübchen, Hannelore Elsner, Udo Samel, Golda Tencer, Steffen Groth e outros.
― Alemanha, 2004. 1h 35min. Em alemão, com legendas em português.

Jack e Samuel, dois irmãos judeus, precisam se reconciliar para poder receber a herança da mãe. Jack Zucker um jornalista da ex-Alemanha Oriental, sempre está no limite da lei; depois da queda do Muro, sua vida entrou numa espiral de decadência tanto do lado financeiro como do pessoal, há muito está distante das tradições e práticas religiosas. Samuel, judeu observante, e que morou do outro lado do Muro, na Alemanha Ocidental. Sempre brigaram por tudo, e até mesmo porque um tem simpatias comunistas e outro é ferrenho capitalista. Pararam de se falar e assim seguiriam, se não fosse o falecimento da mãe e o testamento por ela deixado. Eles só teriam direito à herança se convivessem durante algum tempo e acertassem suas diferenças. Tudo isso sob a supervisão de um rabino.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

A canção da estrada

11 DE ABRIL
terça-feira − 19h30

Pather Panchali (Canção da estrada). Direção: Satyajit Ray. Roteiro: Satyajit Ray, baseado no romance autobiográfico Pather Panchali, de Bibhutibhushan Bandyopadhyay (1894 – 1950). Música: Ravi Shankar. Fotografia: Subrata Mitra. Edição: Dulal Dutta. Direção de arte: Bansi Chandragupta. Elenco: Kanu Bannerjee, Karuna Bannerjee, Chunibala Devi, Uma Das Gupta, Subir Banerjee e outros.
― Índia, 1955. P&B, 2h 5min. Em bengali, com legendas em português.

Nascimento e infância de Apu. A história é narrada a partir do cotidiano da família Ray, onde o pai, da casta sacerdotal (brahmin), poeta e sonhador; a mãe trabalha duro para sustentar os filhos. A vida desta família, que mora em uma decadente habitação ancestral, parece que irá mudar quando o pai arruma um novo emprego para ajudar na renda.

É considerado pela enquete do British Film Institute – BFI, um dos melhores filmes de todos os tempos.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

O que eu mais desejo

O que eu mais desejo (Hirokazu Koreeda, 2011)
28 DE MARÇO
terça-feira − 19h30

奇跡 [Kiseki] (O que eu mais desejo). Direção e roteiro: Hirokazu Koreeda. Elenco: Hiroshi Abe, Masami Nagasawa, Joe Odagiri, Kirin Kiki, Kyara Uchida e outros.
― Japão, 2011. Cor, 2h 8min. Em japonês, com legendas em português.

No Japão, na ilha de Kyushu, dois irmãos vivem separados após o divórcio de seus pais. O mais velho, de 12 anos mora com sua mãe no sul da ilha e seu irmão mais novo, com o pai, no norte da ilha. Embora tenham muitos desejos, o que eles realmente querem é voltar à família que tinham, estar juntos novamente. E vão usar de diversas artimanhas para consegui-lo.

Livre para todos os públicos

 

 Críticas e comentários

Kes

Kes (Ken Loach, 1969)

No dia 4 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Kes, dirigido pelo cineasta britânico Ken Loach.

Vale a pena conhecer a obra de Ken Loach. E Kes é o melhor ponto de partida.
André Barcinski

Sinopse

Kes se passa no norte da Inglaterra. Billy Casper tem 15 anos e nenhuma esperança: o pai abandonou a família, a mãe o considera um estorvo, o irmão trabalha nas insalubres minas de carvão da região, a escola é violenta. Até que Billy encontra um filhote de falcão, que denomina de Kes, e começa a domesticá-lo.

Kes. Reino Unido: 1969. Direção: Ken Loach. Roteiro: Barry Hines, Ken Loach, Tony Garnett, baseado no livro A kestrel for a knave, de Barry Hines. Elenco: David Bradley, Agnes Drumgoon, Bernard Atha, Beryl Carroll, Bill Dean, Bob Bowes e outros. 110 min, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários e críticas

Como era verde o meu vale

Como era verde o meu vale (1941)

No dia 19 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Como era verde o meu vale, dirigido pelo cineasta estadunidense John Ford (1894 – 1973). 

Sinopse

Aos 60 anos, Huw Morgan relembra sua vida quando garoto em uma pequena cidade mineradora no sul do País de Gales, no início do século XX. Suas reminiscências revelam a desintegração de sua família, enquanto capta os sentimentos e problemas daquele tempo. Todos os homens da família são trabalhadores nas minas de carvão. Com a precariedade do vínculo empregatício e os baixos salários, os mineradores formam um sindicato e entram em greve.

How Green Was My Valley (Como era verde o meu vale). Estados Unidos: 1941, 118 min, P&B, em inglês e galês, com legendas em português. Direção: John Ford. Roteiro: Philip Dunne (1908 – 1992), baseado no romance homônimo de Richard Llewellyn (1906 – 1983). Elenco: Walter Pidgeon, Maureen O’Hara, Anna Lee, Donald Crisp.

Entrada franca

Livre para todos os públicos