O jovem Frankenstein

O jovem Frankenstein (Mel Brooks, 1974)

Young Frankenstein (O jovem Frankenstein). Direção: Mel Brooks. Produção: Michael Gruskoff. Roteiro: Gene Wilder, Mel Brooks, livremente inspirado no romance Frankenstein (1823), de Mary Shelley. Música: John Morris. Fotografia: Gerald Hirschfeld. Edição: John C. Howard. Design de produção: Dale Hennesy. Decoração: Robert De Vestel. Figurino: Dorothy Jeakins. Maquiagem: Edwin Butterworth, Mary Keats, William Tuttle. Elenco: Gene Wilder, Peter Boyle, Marty Feldman, Madeline Kahn, Cloris Leachman e outros.
― 1974, Estados Unidos. 1h 46min. Em inglês, alemão.

Um cientista descendente do famoso Dr. Frankenstein e que, por se envergonhar das pesquisas do avô e acreditar em outros caminhos para a ciência, passou a chamar-se Fronkonsteen. Por testamento, seu avô lhe deixou um castelo na Transilvânia. O jovem Frankenstein se despede da noiva, Elizabeth, e vai para Transilvânia para reivindicar a herança.

[ficha técnica IMDB]

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Anúncios

Dr. Fantástico

Dr. Fantástico (Stanley Kubrick, 1964)

23 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Dr. Strangelove (Dr. Fantástico). Direção: Stanley Kubrick. Produção: Stanley Kubrick. Roteiro: Stanley Kubrick, Terry Southern, Peter George, baseado no romance  “Red Alert”, de Peter George. Música: Laurie Johnson. Fotografia: Gilbert Taylor. Edição: Anthony Harvey. Elenco: Peter Sellers, George C. Scott, Sterling Hayden, Keenan Wynn, Slim Pickens e outros.
― Reino Unido, Estados Unidos, 1964. P&B, 1h 35min. Em inglês, russo, com legendas em português.

O General Ripper fica maluco e arma um plano para iniciar a guerra nuclear. Então as autoridades máximas dos Estados Unidos e da União Soviética tentam parar um avião-bombardeiro cuja tripulação recebera ordens de lançar uma bomba nuclear na Rússia.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 Críticas e comentários

Diabo a quatro

Groucho Marx em O Diabo a Quatro (1933)

9 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Duck Soup (Diabo a quatro). Direção: Leo McCarey. Produção: Herman J. Mankiewicz. Roteiro: Bert Kalmar, Harry Ruby, Arthur Sheekman, Nat Perrin. Elenco: Groucho Marx, Harpo Marx, Chico Marx, Zeppo Marx, Margaret Dumont e outros.
― Estados Unidos, 1933. P&B, 68 min. Em inglês, com legendas em português.

A história de poder e corrupção se passa no mítico país da Freedonia, um país em crise e à beira de uma revolução. A milionária Sra. Teasdale (Margaret Dumont), a principal patrona de Freedonia, emprestará ao país 20 milhões se o presidente renunciar e entregar o comando ao “destemido e progressivo” Rufus T. Firefly (Groucho Marx). Na noite em que vai assumir seu novo cargo, Firefly chega tarde à cerimônia de posse, insulta a todos que avista e canta uma música sobre como pretende abusar de seu poder. Enquanto isto, o Embaixador Trentino (Louis Calhern) da vizinha Sylvania esquematiza como depor Firefly e tomar Freedonia para ele mesmo. No esforço de encontrar evidências suficientes para desmoralizar Firefly, ela manda seus mais confiáveis espiões, Chicolini (Chico Marx) e Pinky (Harpo Marx). Uma inacreditável confusão se instaura e as cenas que se seguem estão entre as antologias de humor no cinema.

 

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários