A guerra dos botões (2011)

La guerre des boutons (Yann Samuell, 2011)

No dia 25 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A guerra dos botões (2011), dirigido pelo cineasta francês Yann Samuell.

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud (1882-1915). Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot, Alain Chabat, Vincent Bres e outros. Música: Klaus Badelt. Fotografia: Julien Hirsch. Edição: Sylvie Landra. 109 min, em francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Comentários e críticas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru. 90 min, P&B, em francês.
Anúncios

A guerra dos botões (1962)

La-guerre-des-boutons-1962

No dia 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme La guerre des boutons (1962), dirigido pelo francês Yves Robert (1920 – 2002).

«Um dos melhores filmes sobre a infância – e um dos grandes panfletos pacifistas – da história do cinema.»

Sérgio Vaz

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962, 90 min, P&B, em francês, com legendas em português. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud (1882 – 1915). Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011, 109 min, em francês. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot.

O pequeno Nicolau

Le petit Nicolas (O Pequeno Nicolau). França, Bélgica: 2009. Laurent Tirard.

No dia 4 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Le petit Nicolas (2009), dirigido pelo francês Laurent Tirard.

O Cine-Fórum inicia a temporada 2014 com um filme para ser visto por toda a família.

Sinopse

Nicolau leva uma vida pacífica, na França dos anos 50. Seus pais o amam mais que tudo e ele tem uma turma de amigos pestinhas para aprontar todas com ele, ou seja, a vida é perfeita e não precisa mudar. Mas um belo dia, Nicolau ouve uma conversa entre seus pais e imagina o pior – sua mãe está grávida e ele vai ter um irmão caçula. Com medo de ser esquecido, Nicolau reúne os amigos para ajudá-lo numa importante missão – mostrar que é indispensável.

Le petit Nicolas (O Pequeno Nicolau). França, Bélgica: 2009, 91 min, em francês, com legendas em português. Direção: Laurent Tirard. Roteiro: Laurent Tirard, Grégoire Vigneron, baseado na história em quadrinhos criada por René Goscinny e Jean-Jacques Sempé. Elenco: Maxime Godart, Valérie Lemercier, Kad Merad, Sandrine Kiberlain.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

O espírito da colmeia

El espíritu de la colmena • O espírito da colmeia ― Víctor Erice (1973)

No dia 27 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme O espírito da colmeia, do basco Víctor Erice.

A apresentação do filme O espírito da colmeia insere-se na retrospectiva histórica do Cine-Fórum, como filme de destaque da década de 1970.

Sinopse

Duas pequenas irmãs Ana e Isabel, que moram em terras rurais de Castela, na década de 40, em pleno após-guerra civil. Filhas de um apicultor, elas frequentam a escola de uma aldeia isolada, na área rural do país. Certo dia, um comboio itinerante exibe para os estudantes o clássico do horror “Frankenstein” (James Whale, 1931), e Ana fica fascinada pela figura do monstro, mas não entende muito bem o que ocorreu no filme. Enquanto o pai passa os dias cuidando de colmeias e a mãe espera em vão um amor do passado que nunca surge, ela busca respostas com a irmã mais velha. Durante uma conversa, Isabel diz a Ana que as mortes da criança e da criatura são pura fantasia cinematográfica. Ela garante que o monstro está vivo e mora num galpão abandonado perto da casa delas. Segundo Isabel, Frankenstein é um fantasma, e sua aparência externa grotesca é apenas uma roupa. Empolgada com a possibilidade de encontrar e conversar com a criatura, Ana passa a frequentar o tal galpão com assiduidade, ainda que ele esteja quase sempre vazio. É lá que ela vai manter um encontro inesperado que mudará para sempre a sua maneira de ver a vida.

El espíritu de la colmenaO espírito da colmeia ― Víctor Erice (1973) Espanha. Elenco: Fernando Fernán Gómez, Teresa Gimpera, Ana Torrent. (97 min). Idioma: Espanhol, legendas em português.

ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

 Comentários

Trailer

Peixe grande e suas histórias maravilhosas

Big Fish • Peixe grande e suas histórias maravilhosas ― Tim Burton (2003)

No dia 6 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme Peixe grande e suas histórias maravilhosas, do norte-americano Tim Burton.

A apresentação do filme Peixe grande homenageia os pais, cujo dia celebramos em agosto.

Sinopse

Edward Bloom sempre foi um contador de histórias sobre sua extravagante vida como adolescente, quando seu desejo de viajar o levou de uma pequena cidade no Alabama, para uma volta ao mundo todo. Suas explorações místicas variam do divertimento ao delírio, quando conta histórias sobre gigantes, feiticeiras e duas cantoras gêmeas siamesas. Com suas histórias exageradas, Bloom encanta a quase todos que encontra, exceto seu filho Will. Quando sua mãe Sandra tenta aproximá-los, Will precisa aprender a separar a realidade da ficção conhecendo os grandes feitos e as grandes derrotas de seu pai. Uma jornada que aprofunda o relacionamento de um pai e seu filho.

Big Fish Peixe grande e suas histórias maravilhosas ― Tim Burton (2003) Estados Unidos. Roteiro: John August, baseado no romance homônimo de Daniel Wallace. Elenco: Ewan McGregor, Albert Finney, Billy Crudup. (125 min). Distribuidor: Sony Pictures. Idioma: Inglês, legendas em português.

ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

Trailer

O castelo de minha mãe

O castelo de minha mãe ― Yves Robert (1990)

No dia 14 de maio, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural de Brasília, o Cine-Fórum apresenta o filme O castelo de minha mãe, dirigido pelo francês Yves Robert (1920–2002).

O castelo de minha mãe insere-se na programação de maio em homenagem às mães.

Não direi nem mal nem bem de mim. Não é da criança que eu fui que falo, mas da criança que não sou mais.

Marcel Pagnol

Sinopse

O castelo de minha mãe é a continuação de A glória de meu pai, adaptação de Yves Robert (1920–2002) para as memórias do escritor Marcel Pagnol (1895 – 1974). Neste filme as aventuras da família Pagnol continuam. Eles passam a frequentar mais a casa de campo. Como a caminhada pelas colinas até a casa é muito longa, descobrem um atalho que passa pelos domínios de um castelo, o que pode lhes causar uma série de problemas. Em meio a tudo isso, Marcel descobre o primeiro amor. E os anos passam…

O castelo de minha mãe, assim como A glória de meu pai são ternas celebrações da infância e das relações familiares.

Le château de ma mère O castelo de minha mãe ― Yves Robert (1990) França. Elenco: Philippe Caubère, Nathalie Roussel, Didier Pain. (98 min). Idioma: Francês e provençal, legendas em português.

Entrada franca

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

Trailer

Le château de ma mère (trailer)

O garoto da bicicleta

No dia 27 de novembro, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural de Brasília (jesuítas), o Cine-Fórum apresenta o filme O garoto da bicicleta, dirigido pelos belgas Jean-Pierre e Luc Dardenne.

«Um bom filme e que volta a mostrar a sapiência de um duo que constantemente se reinventa no universo dos problemas sociais e demasiado reais para o estômago do espectador comum.»

Jorge Pereira

Sinopse

Cyril, um garoto de onze anos, foi deixado pelo pai em um orfanato. Algo que seria temporário torna-se permanente, sem que o pai mostre interesse pelo retorno do filho. Cyril não quer acreditar que seu pai o abandonou definitivamente e o busca freneticamente. Por acaso ele conhece a cabeleireira Samantha que compreende e acolhe o menino em sua dor e rebeldia.

Le gamin au véloO garoto da bicicleta ― Jean-Pierre Dardenne, Luc Dardenne (2011) Bélgica; França; Itália. Elenco: Thomas Doret, Cécile De France, Jérémie Renier. (87 min )

Entrada franca

Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras

Trailer