Singularidades de uma rapariga loura

Singularidades de uma rapariga loura (2009)

No dia 20 de maio, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Singularidades de uma rapariga loura (2009), dirigido pelo cineasta português Manoel De Oliveira (1908-).

A apresentação de Singularidades de uma rapariga loura insere-se no Pequeno Festival Nossa Língua Portuguesa.

Sinopse

Numa viagem de trem para o Algarve, Portugal, Macário conta as atribulações da sua vida amorosa a uma desconhecida senhora. Relata a sua paixão pela jovem loura que vivia na casa do outro lado da rua, Luísa Vilaça. Assim que a conheceu, quis de imediato casar com ela. O tio, para quem trabalhava, discordava da relação, e por isso despediu-o e expulsou-o de casa. Macário consegue enriquecer em Cabo-Verde e quando já tem a aprovação do tio para finalmente casar com a sua amada, descobre então a “singularidade” do carácter da noiva.

Singularidades de uma rapariga loura. Portugal, Espanha, França: 2009, 64 min, em português. Direção: Manoel De Oliveira. Roteiro: Manoel de Oliveira, baseado no conto homônimo de Eça de Queirós. Elenco: Ricardo Trêpa, Catarina Wallenstein, Diogo Dória.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

 

Anúncios

Janela indiscreta (1954)

janela-indiscreta

No dia 25 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Rear Window (1954), dirigido pelo inglês Alfred Hitchcock (1899–1980).

«Não querendo repetir o que é evidente, deixo ao espectador o cuidado de apreciar, neste filme, a perfeição técnica e a extraordinária qualidade da cor.»

Claude Chabrol

Sinopse

Quando o fotógrafo profissional J. B. Jeff Jeffries (James Stewart) fica confinado a uma cadeira de rodas por causa de uma perna quebrada, ele fica obcecado em observar os dramas particulares de seus vizinhos. Quando ele suspeita que um vendedor pode ter assassinado sua esposa, Jeffries pede a ajuda de sua namorada (Grace Kelly) para investigar a suspeita sequência de eventos. Eventos que definitivamente levam a um dos mais memoráveis e envolventes finais da história do cinema.

Rear Window (Janela indiscreta). Estados Unidos: 1954, 112 min, em inglês, com legendas em português. Direção: Alfred Hitchcock. Roteiro: John Michael Hayes, baseado em um conto de Cornell Woolrich (1903 – 1968). Elenco: James Stewart, Grace Kelly, Wendell Corey, Thelma Ritter. 

Entrada franca.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Leituras indicadas

Morte! Três batidas na madeira…

Miguel Sartori

Inquietos (Gus Van Sant, 2011)

A palavra morte assusta a muitos. A sua vinda é temida e falar sobre ela faz…. não faz nada: evita-se falar sobre a morte. Em Inquietos, Gus Van Sant trata esse tema tão particular de forma leve, às vezes até engraçada, sem deixar de dar a ele a devida importância e, digamos assim, solenidade.

Inquietos, apesar de tratar o tempo todo sobre a morte, é um apelo à vida e ao amor. Anabel e Enoch se conhecem em uma homenagem póstuma e, depois da insistência da garota, passam a se encontrar, dando cor e vida aos dias solitários do rapaz. Enoch descobre que Anabel só tem mais três meses de vida e promete ajuda-la em sua passagem. Assim, os dois vivem intensamente os últimos dias da garota em meio a um conhecer-se e despedir-se.

Enquanto Enoch se faz presença e dá significado e amor à espera pela morte, Anabel faz o trabalho mais difícil de recobrar à vida Enoch, que desde a morte dos pais se isola em seu próprio mundo tendo como único amigo o “fantasma” de um kamikaze da II Guerra Mundial. A realidade da morte, sempre tão presente em todos os momentos, os faz viver!

Inquietos é repleto de metáforas de vida e morte, como quando Anabel conta sobre um pássaro canoro que pensa estar morto ao crepúsculo e, ao raiar do novo dia, canta uma belíssima canção por se perceber ainda vivo. É o que ocorre com os dois garotos que reaprendem o valor do amor e da vida diante da inicialmente trágica notícia da morte.

Poderia dizer que, para mim, a mensagem do filme seria: viver o momento presente doando-se inteiramente ao outro e a si mesmo. É o que a certeza da morte nos leva a fazer, paradoxalmente, gerando vida.

 

Inquietos

No dia 12 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme Inquietos, dirigido pelo norte-americano Gus Van Sant. A sessão é uma homenagem ao amor romântico, na celebração do dia dos namorados.

Grava-me, como um selo em teu coração, como um selo em teu braço; pois o amor é forte, é como a morte! Cruel como o abismo é a paixão; suas chamas são chamas de fogo, uma faísca de Iahweh!

Cântico dos Cânticos 8, 6

Sinopse

Uma história de amor e de vida. Enoch, um rapaz cujos pais morreram num acidente de carro e de quem nunca teve oportunidade de se despedir, cria o hábito de ir assistir a funerais de desconhecidos. Num deles conhece a jovem Annabel. Encorajado pelo fantasma de um piloto kamikaze que o acompanha diariamente, Enoch acaba por mergulhar numa doce e renovadora relação com Annabel que faz de seus dias um ato único de amor.

Restless • Inquietos ― Gus Van Sant (2011) Estados Unidos. Roteiro de Jason Lew.  Música original de Danny Elfman. Elenco: Mia Wasikowska, Henry Hopper, Ryo Kase. (91 min)

  Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 12 anos

Críticas, análises e comentários

Trailer