A audiência

A audiência (Marco Ferreri, 1972)

14 DE MARÇO
terça-feira − 19h30

L’Udienza (A audiência). Direção: Marco Ferreri (1928–1997). Produção: Franco Cristaldi. Roteiro: Marco Ferreri, Rafael Azcona, Dante Matelli. Música: Teo Usuelli. Fotografia: Mario Vulpiani. Edição: Giuliana Trippa. Elenco: Enzo Jannacci, Claudia Cardinale, Ugo Tognazzi, Michel Piccoli, Vittorio Gassman.
― Itália, França, 1972. 1h 51min. Em italiano, francês, latim, com legendas em português.

Amedeo, um homem comum, deseja falar com o Papa. A burocracia e forças estranhas são obstáculos para ele realizar seu desejo. Livremente inspirado no romance Das Schloss (O castelo), de Franz Kafka (1883–1924).

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Anúncios

Vocês ainda não viram nada!

vous-n-Vocês ainda não viram nada! (Alain Resnais, 2012) avez-encore-rien-vu-26-09-2012-1-g

7  DE MARÇO
terça-feira − 19h30

Vous n’avez encore rien vu (Vocês ainda não viram nada!). Direção: Alain Resnais (1922 – 2014). Produção: Jean-Louis Livi. Roteiro: Alain Resnais, Laurent Herbiet, a partir da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh (1910 – 1987). Música: Mark Snow. Fotografia: Eric Gautier. Edição: Hervé de Luze; Sylvie Lager. Chef décorateur: Jacques Saulnier (1928 – 2014). Direção de arte: Matthieu Beutter. Figurino: Jackie Budin. Elenco: Lambert Wilson, Michel Piccoli, Mathieu Amalric, Pierre Arditi, Sabine Azéma e outros.
― França, Alemanha, 2012. 1h 55min. Em francês, com legendas em português.

Após sua morte, Antoine, famoso dramaturgo, deixa em testamento uma missão para alguns de seus mais próximos – eles devem aprovar ou reprovar uma montagem de sua peça Eurídice feita por uma jovem trupe de teatro.Três gerações de atores entrelaçam suas vozes e emoções sobre o mesmo texto. Adaptação livre da peça Eurydice (1942), de Jean Anouilh.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Críticas e comentários

Habemus Papam

 

Habemus papam

No dia 10 de março, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum do Centro Cultural de Brasília (Jesuítas) apresenta o filme Habemus Papam, dirigido pelo italiano Nanni Moretti.

Sinopse

Eleito papa, o cardeal Melvile precisa dirigir-se aos fiéis para o anúncio de sua eleição e para a bênção Urbi et Orbi. No momento crucial em que é feito o anúncio habemus papam (temos um papa), o papa eleito desaba em profunda crise e recusa-se a assumir o novo múnus pastoral. A Cúria Romana sente-se abalada e o mundo está consternado com a ausência do novo pontífice. Providências são tomadas, um psicanalista é chamado ao Vaticano, mas Melvile rompe o cerco e foge para misturar-se aos habitantes de Roma em busca de uma autocompreensão existencial num mundo em mutação.

Habemus Papam. Itália, França: 2011, 102 min, em italiano, alemão, latim, inglês, espanhol, polonês, francês, com legendas em português. Direção: Nanni Moretti. Elenco: Michel Piccoli, Jerzy Stuhr, Renato Scarpa, Franco Graziosi.

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

Indicação de leituras

Habemus Papam

Habemus Papam (Nanni Moretti, 2011)

No dia 2 de outubro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum do Centro Cultural de Brasília (Jesuítas) apresenta o filme Habemus Papam, dirigido pelo italiano Nanni Moretti.

A apresentação do filme Habemus Papam insere-se na programação de comemoração dos 50 anos do Concílio Ecumênico Vaticano II.

Sinopse

Eleito papa, o cardeal Melvile precisa dirigir-se aos fiéis para o anúncio de sua eleição e para a bênção Urbi et Orbi. No momento crucial em que é feito o anúncio habemus papam (temos um papa), o papa eleito desaba em profunda crise e recusa-se a assumir o novo múnus pastoral. A Cúria Romana sente-se abalada e o mundo está consternado com a ausência do novo pontífice. Providências são tomadas, um psicanalista é chamado ao Vaticano, mas Melvile rompe o cerco e foge para misturar-se aos habitantes de Roma em busca de uma autocompreensão existencial num mundo em mutação.

Habemus Papam ― Nanni Moretti (2011) Itália; França. Elenco: Michel Piccoli, Nanni Moretti, Jerzy Stuhr, Renato Scarpa. (102 min)

Classificação indicativa

Livre para todos os públicos

Indicação de leituras

Trailer

O discreto charme da burguesia (1972)

Le charme discret de la bourgeoisie (Luis Buñuel, 1972)

No dia 18 de setembro, terça-feira, às 19h30, no Centro Cultural de Brasília, o Cine-Fórum apresenta o filme O discreto charme da burguesia (1972), dirigido pelo espanhol Luis Buñuel (1900 – 1983).

O discreto charme da burguesia é o sétimo filme apresentado na programação sobre a história do cinema no Cine-Fórum.

Em geral, os filmes de Luis Buñuel são comédias, de algum modo, mas ele não apela para gags ou falas de efeito: sua comédia mais parece uma punhalada, fingida e dolorosa.

Roger Ebert

Sinopse

Três casais tentam, mas nunca conseguem, sentar e comer juntos. O filme prossegue com interrupções diversas, digressões e interpolações que identificam os personagens, a sua classe e a sua aparente indestrutibilidade com os próprios processos de ilusão e continuidade da narrativa.

Le charme discret de la bourgeoisieO discreto charme da burguesia ― Luis Buñuel (1972) França; Itália; Espanha. Roteiro: Jean-Claude Carrière e Luis Buñuel. Elenco: Fernando Rey, Paul Frankeur, Delphine Seyrig, Bulle Ogier, Stéphane Audran, Jean-Pierre Cassel, Julien Bertheau, Michel Piccoli. (102 min)

Entrada franca.

 Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 14 anos

Críticas, comentários, análises

Trailer