Nossa irmã mais nova

Nossa irmã mais nova (Hirokazu Koreeda, 2015)

21 fev.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Umimachi Diary (Nossa irmã mais nova). Direção: Hirokazu Koreeda. Produção: Takashi Ishihara, Kaoru Matsuzaki, Hijiri Taguchi. Roteiro: Hirokazu Koreeda, inspirado na série de manga josei “Umimachi Diary”, de Akimi Yoshida. Música: Yôko Kanno. Fotografia: Mikiya Takimoto. Edição: Hirokazu Koreeda. Design de produção: Keiko Mitsumatsu. Elenco: Haruka Ayase, Masami Nagasawa, Kaho, Suzu Hirose, Ryo Kase e outros. ― 2015, Japão. 2h 8min. Em japonês, com legendas em português.

Três irmãs vivem na casa da falecida avó, abandonadas pelos pais. Um dia ficam sabendo da morte de seu pai e comparecem ao funeral, onde conhecem a filha que ele teve em outro casamento, Suzu, de apenas 13 anos. Percebendo que ela, assim como o trio, ficaria abandonada, decidem levar a menina para morar com elas. A partir de então, as quatro irmãs constroem um convívio rico e fecundo.

Livre para todos os públicos

Críticas e comentários

 

 

O homem do riquixá

O homem do riquixá (Hiroshi Inagaki, 1958)

No dia 16 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme O homem do riquixá, dirigido pelo cineasta japonês Hiroshi Inagaki  (1905–1980).

Sinopse

Matsugoro é um pobre puxador de riquixá, cujo espírito alegre e otimista faz com que ele seja considerado o favorito da cidade.  Um dia, ele ajuda Toshio, um garoto ferido, sendo então contratado por seus pais, o capitão Kotaro e sua mulher Yoshiko, para transportá-lo em suas idas às sessões de terapia. Matsugoro termina apegando-se ao garoto e a seus pais.  Quando o Capt. Kotaro morre, Matsu, cumprindo uma promessa feita ao cliente morto, torna-se um segundo pai para Toshio, ajudando-o à medida que ele cresce e, ao mesmo tempo, apaixonando-se secretamente por Yoshiko. Mas Matsu sabe que há um verdadeiro abismo entre suas classes sociais e que ele não passará de um simples puxador de riquixá para a mãe e o filho.

Muhomatsu no issho (O homem do riquixá). Japão: 1958. Direção: Hiroshi Inagaki. Roteiro: Hiroshi Inagaki, Mansaku Itami, Shunsaku Iwashita. Elenco: Toshirô Mifune, Hideko Takamine, Hiroshi Akutagawa, Chishû Ryû, Chôko Iida e outros. 103 min, em japonês, com legenda em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Tampopo: os brutos também comem spaghetti

Tampopo

No dia 21 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Tampopo: os brutos também comem spaghetti, dirigido pelo cineasta japonês Jûzô Itami (1933–1997). 

Sinopse

Elegante comédia japonesa em que a arte culinária desempenha o papel de fio condutor de diversas narrativas. A história principal centra-se na conquista da perfeita receita de ramen (sopa de macarrão) servido no restaurante da jovem viúva Tampopo. Esta busca, com ares de western spaghetti, será realizada com a ajuda de um caminhoneiro que agrega mais alguns amigos para reerguer o restaurante da simpática viúva.  Paralelamente à saga de Tampopo e seus amigos, são apresentadas pequenas narrativas envolvendo a alimentação e seus rituais que ressaltam a relação sensorial entre as pessoas e a comida.

Tampopo (Tampopo: os brutos também comem spaghetti). 1985, em japonês, legendado em português. Direção e roteiro: Jûzô Itami. Elenco: Tsutomu Yamazaki, Nobuko Miyamoto, Kôji Yakusho, Ken Watanabe, Rikiya Yasuoka. Distribuidor: Cult Classic.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Hanami — Cerejeiras em flor

cerejeiras-em-flor

No dia 22 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Kirschblüten — Hanami (2008), dirigido pela cineasta alemã Doris Dörrie.

Sinopse

Apenas Trudi sabe que seu marido Rudi está sofrendo de uma doença terminal e ela precisa decidir se vai contar a ele ou não. O médico sugere que eles façam algo juntos, como realizar um velho sonho. Trudi decide não contar ao marido sobre a gravidade de sua doença e aceita o conselho do médico. Ela há muito tempo gostaria de ir ao Japão, mas primeiramente convence Rudi a visitar seus filhos e netos em Berlim. Quando chega na cidade, o casal percebe que os filhos estão tão ocupados com suas próprias vidas que não têm tempo para sair com eles. Na segunda viagem que Rudi aceita fazer com a esposa, ela morre repentinamente. Rudi fica devastado e não tem a menor ideia do que fazer. Através do contato com a amiga de sua filha, Rudi compreende que o amor de Trudi por ele havia feito com que ela deixasse de lado a vida que queria viver. Ele começa a vê-la com outros olhos e promete compensar sua vida perdida embarcando em uma última jornada, para o Japão, na época do festival das cerejeiras, uma celebração da beleza, da impermanência e de um novo começo.

Kirschblüten — Hanami (Hanami — Cerejeiras em flor). Alemanha: 2008, 127 min, em alemão, inglês, japonês, legendado em português. Direção: Doris Dörrie. Roteiro: Doris Dörrie. Elenco: Elmar Wepper, Hannelore Elsner, Aya Irizuki.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras indicadas