Cinema Paradiso

Cinema Paradiso (Giuseppe Tornatore, 1988)

13 jun.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Nuovo cinema Paradiso (Cinema Paradiso). Direção: Giuseppe Tornatore. Produção: Franco Cristaldi, Giovanna Romagnoli. Roteiro: Giuseppe Tornatore, Vanna Paoli. Música: Ennio Morricone. Fotografia: Blasco Giurato. Edição: Mario Morra. Design de produção: Andrea Crisanti. Elenco: Antonella Attili, Enzo Cannavale, Isa Danieli, Leo Gullotta, Marco Leonardi e outros.
― 1988, Itália, França. 2h 35min. Em italiano, com legendas em português.

O menino Toto se encanta pelo cinema e inicia uma grande amizade com o projecionista de sua pequena cidade. Já adulto e agora um cineasta bem-sucedido, Toto volta a lembrar de sua infância ao descobrir que seu velho amigo faleceu.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Sonata de outono

Sonata de outono (Ingmar Bergman, 1978)

No dia 29 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Sonata de outono, dirigido pelo cineasta sueco Ingmar Bergman (1918–2007).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

Charlotte, uma renomada pianista, vai até a casa de sua filha Eva para lhe fazer uma visita. Ela se surpreende ao encontrar sua outra filha, Helena, que tem problemas mentais. Eva tirou Helena da instituição na qual Charlotte a havia internado, para cuidar dela em casa. A tensão entre mãe e filha culmina num processo catártico, quando ambas falam tudo que sempre gostariam de ter dito.

Höstsonaten (Sonata de outono). Suécia, França, Alemanha Ocidental: 1978. Direção e roteiro: Ingmar Bergman. Elenco: Ingrid Bergman, Liv Ullmann, Lena Nyman, Halvar Björk, Marianne Aminoff e outros. Direção de fotografia: Sven Nykvist. Edição: Sylvia Ingemarsson. 99 min, em sueco, inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários e críticas

Assassinato no Expresso Oriente

Ingrid Bergman - Assassinato no Expresso Oriente (1974)

No dia 22 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Assassinato no Expresso Oriente, dirigido pelo cineasta estadunidense Sidney Lumet (1924–2011).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

O inspetor Hercule Poirot, tenta desvendar um intrigante caso de assassinato a bordo do Expresso Oriente. A vítima era o sequestrador e assassino do famoso bebê dos Lindbergh, e todos os passageiros têm um segredo a esconder.

Murder on the Orient Express (Assassinato no Expresso Oriente). Reino Unido: 1974. Direção: Sidney Lumet. Roteiro: Paul Dehn, baseado no livro Murder on the Orient Express, de Agatha Christie (1890 – 1976), publicado em 1934. Elenco: Albert Finney, Ingrid Bergman, Lauren Bacall, Martin Balsam, Jacqueline Bisset e outros. Música: Richard Rodney Bennett. Direção de fotografia: Geoffrey Unsworth. Edição: Anne V. Coates. Direção de arte: Jack Stephens. Figurino: Tony Walton. 128 min, em inglês, francês, alemão, Turco, italiano, sueco, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários e críticas

Joana d’Arc (1948)

Joana d’Arc (Victor Fleming, 1948)

No dia 15 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Joana d’Arc, dirigido pelo cineasta estadunidense Victor Fleming (1889–1949).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

França, início do século XV. O Delfim de França, herdeiro da coroa, vem perdendo sucessivas batalhas e não consegue ser coroado rei, pois a capital está invadida pelos ingleses. Joana, uma jovem de 14 anos, tem escutado vozes que a chamam para comandar o exército francês à vitória. Já crescida, o príncipe-herdeiro da França decide enviá-la para o campo de batalha. Ela guia os franceses à vitória enfrentando intensas batalhas, até que finalmente a cidade real volta ao poder da França e seu Rei finalmente é coroado. Mas ela é traída e entregue aos ingleses, que a levam ao tribunal da igreja, a acusam de heresia e a condenam à fogueira por não se submeter a eles.

Joan of Arc (Joana d’Arc). Estados Unidos: 1948. Direção: Victor Fleming. Roteiro: Maxwell Anderson, Andrew Solt, baseado na peça de teatro “Joan of Lorraine”, Maxwell Anderson. Elenco: Ingrid Bergman, Francis L. Sullivan, J. Carrol Naish, Ward Bond, Shepperd Strudwick e outros. Música: Hugo Friedhofer. Direção de fotografia: Winton C. Hoch; William V. Skall; Joseph A. Valentine. Edição: Frank Sullivan. 145 min, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras sugeridas

Os sinos de Santa Maria

 Os Sinos de Santa Maria (1945)

No dia 8 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Os sinos de Santa Maria, dirigido pelo cineasta estadunidense Leo McCarey (1896–1969).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

Padre Chuck O’Malley é enviado ao Colégio Santa Maria, dirigido por freiras, a fim de substituir o antigo pároco e ajudar a recuperar a instituição que se acha quase falida. O filme narra o relacionamento entre a Madre Mary Benedict, a superiora das religiosas do colégio, e o novo pároco, principalmente no que tange às diferenças de opiniões em relação à melhor forma de educar seus alunos.

The Bells of St. Mary’s (Os sinos de Santa Maria). Estados Unidos: 1945. Direção: Leo Mccarey. Roteiro: Dudley Nichols, Leo McCarey. Elenco: Bing Crosby, Ingrid Bergman, Henry Travers, William Gargan, Ruth Donnelly e outros. Música: Robert Emmett; Dolan. Diretor de fotografia: George Barnes. Edição: Harry Marker. Direção de arte: William Flannery; Albert S. D’Agostino. Figurino: Edith Head. 126 min, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Livre para todos os públicos

Comentários e críticas

À meia luz

À meia luz

No dia 1º de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme À meia luz, dirigido pelo cineasta estadunidense George Cukor (1899–1983).

Este filme integra o Pequeno Festival Ingrid Bergman (1915–1982), na comemoração do centenário de seu nascimento.

#IngridBergman100

Sinopse

História de Paula Alquist, sobrinha de uma famosa cantora de ópera assassinada, e Gregory Anton, pianista pretendente e futuro esposo de Paula. Após o casamento, Gregory passa a torturar psicologicamente sua jovem esposa, fazendo-a acreditar que está enlouquecendo. A história passa a tomar um rumo diferente, embora embebida em suspense, quando o investigador Brian Cameron passa a desconfiar de Gregory.

Gaslight (À meia luz). Estados Unidos: 1944. Direção: George Cukor. Roteiro: John Van Druten, Walter Reisch, John L. Balderston, baseado na peça de teatro Angel Street, de Patrick Hamilton (1904–1962). Elenco: Charles Boyer, Ingrid Bergman, Joseph Cotten, Dame May Whitty, Angela Lansbury e outros. Música: Bronislau Kaper. Direção de fotografia: Joseph Ruttenberg. Edição: Ralph E. Winters. Direção de arte: Cedric Gibbons. 114 min, P&B, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Comentários e críticas