O marido da cabeleireira

Le mari de la coiffeuse 2

25 abril
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

Le mari de la coiffeuse (O marido da cabeleireira). Direção: Patrice Leconte. Produção: Thierry de Ganay. Roteiro: Claude Klotz, Patrice Leconte. Música: Michael Nyman. Fotografia: Eduardo Serra. Edição: Joëlle Hache. Elenco: Jean Rochefort, Anna Galiena, Roland Bertin, Maurice Chevit, Philippe Clévenot e outros. ― 1990, França. 1h 22min. Em francês, árabe, com legendas em português.

Antoine, quando garoto, apaixonou-se por uma cabeleireira e sempre arrumava uma forma de cortar o cabelo para estar próximo da amada. Na maturidade, cai de amores por Mathilde, também cabeleireira.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

Anúncios

A guerra dos botões (2011)

La guerre des boutons (Yann Samuell, 2011)

No dia 25 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A guerra dos botões (2011), dirigido pelo cineasta francês Yann Samuell.

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud (1882-1915). Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot, Alain Chabat, Vincent Bres e outros. Música: Klaus Badelt. Fotografia: Julien Hirsch. Edição: Sylvie Landra. 109 min, em francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

Comentários e críticas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru. 90 min, P&B, em francês.

Kes

Kes (Ken Loach, 1969)

No dia 4 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Kes, dirigido pelo cineasta britânico Ken Loach.

Vale a pena conhecer a obra de Ken Loach. E Kes é o melhor ponto de partida.
André Barcinski

Sinopse

Kes se passa no norte da Inglaterra. Billy Casper tem 15 anos e nenhuma esperança: o pai abandonou a família, a mãe o considera um estorvo, o irmão trabalha nas insalubres minas de carvão da região, a escola é violenta. Até que Billy encontra um filhote de falcão, que denomina de Kes, e começa a domesticá-lo.

Kes. Reino Unido: 1969. Direção: Ken Loach. Roteiro: Barry Hines, Ken Loach, Tony Garnett, baseado no livro A kestrel for a knave, de Barry Hines. Elenco: David Bradley, Agnes Drumgoon, Bernard Atha, Beryl Carroll, Bill Dean, Bob Bowes e outros. 110 min, em inglês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Comentários e críticas

O ano em que meus pais saíram de férias

O ano em que meus pais saíram de férias (Cao Hamburger. 2006)

No dia 12 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme O ano em que meus pais saíram de férias, dirigido pelo brasileiro Cao Hamburger.

Sinopse

Em 1970, o Brasil e o mundo parecem estar de cabeça para baixo, mas a maior preocupação na vida de Mauro, um garoto de 12 anos, tem pouco a ver com a ditadura militar que impera no País, seu maior sonho é ver o Brasil tricampeão mundial de futebol. De repente, ele é separado dos pais e obrigado a se adaptar a uma diferente e divertida comunidade ― o Bom Retiro, bairro de São Paulo, que abriga judeus, italianos, entre outras culturas. Uma história emocionante de superação e solidariedade.

O ano em que meus pais saíram de férias ― Cao Hamburger (2006) Brasil. Elenco: Michel Joelsas, Germano Haiut, Daniela Piepszyk, Caio Blat, Paulo Autran. (104 min). Distribuidor: Buena Vista International. Idioma: Português, yiddish, hebraico.

ENTRADA FRANCA
Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Comentários

A guerra dos botões (1962)

La-guerre-des-boutons-1962

No dia 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme La guerre des boutons (1962), dirigido pelo francês Yves Robert (1920 – 2002).

«Um dos melhores filmes sobre a infância – e um dos grandes panfletos pacifistas – da história do cinema.»

Sérgio Vaz

Sinopse

Como em todos os anos no retorno às aulas, os estudantes de Longeverne, liderados por Lebrac, declaram guerra aos de Velrans. Numa dessas batalhas, Lebrac tem uma ideia – arrancar todos os botões e confiscar os cintos dos presos para que sejam castigados pelos próprios pais. Segundo Luiz Zanin, uma metáfora antibélica sempre atual.

La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 1962, 90 min, P&B, em francês, com legendas em português. Direção: Yves Robert. Roteiro: François Boyer, baseado no romance de Louis Pergaud (1882 – 1915). Elenco: Jacques Dufilho, Yvette Etiévant, Michel Galabru.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

Filmes relacionados

  • War of the Buttons (A guerra dos botões). Reino Unido, França, Japão: 1994, 94 min, em inglês. Direção: John Roberts. Roteiro: Colin Welland, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Gregg Fitzgerald, Gerard Kearney, Darragh Naughton.
  • La guerre des boutons (A guerra dos botões). França: 2011, 109 min, em francês. Direção: Yann Samuell. Roteiro: Yann Samuell, baseado no romance de Louis Pergaud. Elenco: Eric Elmosnino, Mathilde Seigner, Fred Testot.

O pequeno Nicolau

Le petit Nicolas (O Pequeno Nicolau). França, Bélgica: 2009. Laurent Tirard.

No dia 4 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Le petit Nicolas (2009), dirigido pelo francês Laurent Tirard.

O Cine-Fórum inicia a temporada 2014 com um filme para ser visto por toda a família.

Sinopse

Nicolau leva uma vida pacífica, na França dos anos 50. Seus pais o amam mais que tudo e ele tem uma turma de amigos pestinhas para aprontar todas com ele, ou seja, a vida é perfeita e não precisa mudar. Mas um belo dia, Nicolau ouve uma conversa entre seus pais e imagina o pior – sua mãe está grávida e ele vai ter um irmão caçula. Com medo de ser esquecido, Nicolau reúne os amigos para ajudá-lo numa importante missão – mostrar que é indispensável.

Le petit Nicolas (O Pequeno Nicolau). França, Bélgica: 2009, 91 min, em francês, com legendas em português. Direção: Laurent Tirard. Roteiro: Laurent Tirard, Grégoire Vigneron, baseado na história em quadrinhos criada por René Goscinny e Jean-Jacques Sempé. Elenco: Maxime Godart, Valérie Lemercier, Kad Merad, Sandrine Kiberlain.

Entrada franca.

Livre para todos os públicos

Leituras indicadas

O ano em que meus pais saíram de férias

O ano em que meus pais saíram de férias ― Cao Hamburger (2006)

No dia 3 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme O ano em que meus pais saíram de férias, dirigido pelo brasileiro Cao Hamburger .

A apresentação do filme O ano em que meus pais saíram de férias integra a programação de setembro do Cine-Fórum, dedicada ao cinema e participação política.

Sinopse

Em 1970, o Brasil e o mundo parecem estar de cabeça para baixo, mas a maior preocupação na vida de Mauro, um garoto de 12 anos, tem pouco a ver com a ditadura militar que impera no País, seu maior sonho é ver o Brasil tricampeão mundial de futebol. De repente, ele é separado dos pais e obrigado a se adaptar a uma diferente e divertida comunidade ― o Bom Retiro, bairro de São Paulo, que abriga judeus, italianos, entre outras culturas. Uma história emocionante de superação e solidariedade.

O ano em que meus pais saíram de férias ― Cao Hamburger (2006) Brasil. Elenco: Michel Joelsas, Germano Haiut, Daniela Piepszyk, Caio Blat, Paulo Autran. (104 min). Distribuidor: Buena Vista International. Idioma: Português, yiddish, hebraico.

ENTRADA FRANCA
Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Comentários