O samurai

O samurai (Jean-Pierre Melville, 1967)

11 DE OUTUBRO
quarta-feira − 19h30

Le samouraï (O Samurai). Direção: Jean-Pierre Melville. Produção: Raymond Borderie, Eugène Lépicier. Roteiro: Jean-Pierre Melville, Georges Pellegrin. Música: François de Roubaix. Fotografia: Henri Decaë. Edição: Monique Bonnot, Yolande Maurette. Elenco: Alain Delon, François Périer, Nathalie Delon, Cathy Rosier, Jacques Leroy e outros.
― 1967, França, Itália. color. (Eastmancolor), 1h 45min. Em francês, com legendas em português.

Jef Costello (Alain Delon) é um assassino profissional metódico, contratado para matar um empresário em um clube noturno. Detido pela polícia, Jef preparara cuidadosamente um álibi, enquanto a polícia o vigia e os mandantes do crime o perseguem.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

 Críticas e comentários

 

 

Anúncios

Os imperdoáveis

29 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Unforgiven (Os imperdoáveis). Direção e produção: Clint Eastwood. Roteiro: David Webb Peoples. Música: Lennie Niehaus. Fotografia: Jack N. Green. Edição: Joel Cox. Elenco: Clint Eastwood, Gene Hackman, Morgan Freeman, Richard Harris, Jaimz Woolvett e outros.
― 1992, Estados Unidos. 2h 11min. Em inglês, com legendas em português.

Wyoming (EUA), séc. XIX. Um homem desfigura a face de uma prostituta com uma faca. As outras prostitutas oferecem um prêmio para quem caçar e matar o agressor de sua colega. Pistoleiros aposentados aceitam realizar esse último trabalho. Nesse filme desmitificador do Velho Oeste, a violência não é gloriosa e se manifesta como reação da insegurança masculina. As mulheres não são vistas como estereótipos e os antigos heróis celebrizados pela literatura popular são mostrados como ineptos ou farsantes.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Klute

15 DE AGOSTO
terça-feira − 19h30

Klute (Klute, o passado condena). Direção e produção: Alan J. Pakula. Roteiro: Andy Lewis, David E. Lewis. Música: Michael Small. Fotografia: Gordon Willis. Edição: Carl Lerner. Elenco: Jane Fonda, Donald Sutherland, Charles Cioffi, Roy Scheider, Dorothy Tristan e outros.
― 1971, Estados Unidos. 1h 54min. Em inglês, com legendas em português.

John Klute (Donald Sutherland) é um detetive contratado para descobrir o paradeiro de um empresário desaparecido há seis meses. Ele chega a Nova York para investigar o caso e a única pista que possui são cartas de teor pornográfico enviadas a Bree Daniels (Jane Fonda), uma prostituta. Bree provavelmente será a próxima vítima do assassino.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita

Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita (Elio Petri, 1970)19 DE JULHO
terça-feira − 19h30

Indagine su un cittadino al di sopra di ogni sospetto (Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita). Direção: Elio Petri. Produção: Daniele Senatore; Marina Cicogna. Roteiro: Elio Petri, Ugo Pirro. Música: Ennio Morricone. Fotografia: Luigi Kuveiller. Edição: Ruggero Mastroianni. Elenco: Gian Maria Volontè, Florinda Bolkan, Gianni Santuccio, Orazio Orlando, Sergio Tramonti e outros.
― Itália, 1970. Cor (Technicolor), 1h52min. Em italiano, com legendas em português.

O chefe da polícia de Roma mata a sua amante e tenta incriminar um jovem esquerdista, que também tinha um caso com ela. Por chefiar as investigações, ele tem certeza de que está acima de qualquer suspeita. Assim, não se preocupa em deixar pistas no local do crime que apontem diretamente para seu nome e que serão ignoradas.

Livremente baseado em Crime e Castigo de Dostoiévski, Investigação sobre um cidadão acima de qualquer suspeita é um dos grandes filmes políticos italianos dos anos 1970, longa essencial do diretor Elio Petri sobre o abuso e corrupção do poder e da moral.

simbolo 18pq

Críticas e comentários

Volver

Volver (Pedro Almodóvar, 2006)7 DE JUNHO
terça-feira − 19h30

Volver. Direção: Pedro Almodóvar. Produção: Esther García, Agustín Almodóvar, Toni Novella. Roteiro: Pedro Almodóvar. Música: Alberto Iglesias. Elenco: Penélope Cruz, Carmen Maura, Lola Dueñas, Blanca Portillo, Yohana Cobo e outros.
― Espanha, 2006. 2h 1min. Em espanhol, com legendas em português.

Raimunda é uma mulher jovem trabalhadora, atraente, frágil emocionalmente. Raimunda guarda um segredo terrível desde sua infância. Vive com um marido desempregado e uma filha em plena adolescência. As finanças familiares não vão muito bem, e assim ela equilibra as finanças com diversos empregos. Sua irmã Sole, tímida e receosa, ganha a vida com um salão de beleza irregular. Seu marido a abandonou e fugiu com uma cliente e desde então ela vive sozinha. Paula é tia delas e mora em uma aldeia em La Mancha, onde toda a família nasceu. Uma aldeia castigada pelos ventos leste, a causa direta do alto índice de insanidade registrado lá e responsável pelos diversos incêndios que devastam a área em todos os verões.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

A Estalagem Vermelha

a-estalagem-vermelha

Pequeno Festival
O RISO SAIU PELA CULATRA

No dia 14 de outubro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A Estalagem Vermelha, dirigido pelo cineasta francês Claude Autant-Lara (1901–2000).

Sinopse

No inverno de 1833, um grupo de viajantes, entre eles um monge (Fernandel) passa a noite em uma pousada isolada na região de  Ardèche, na França. O albergue é dirigido por um casal, Pierre e Marie Martin. A estalajadeira, durante uma confissão, diz ao monge que ela e o marido costumam envenenar os hóspedes, roubá-los e depois enterrá-los no jardim da propriedade.  O monge busca meios para salvar a si e aos demais hóspedes sem quebrar o segredo da confissão. Inspirado num conto de Honoré de Balzac que, por sua vez, baseou-se nos fatos supostamente ocorridos no “Auberge de Peyrebeille”.

L’auberge rouge (A Estalagem Vermelha). França: 1951, 98 min, P&B, em francês, com legenda em português. Direção: Claude Autant-Lara. Roteiro: Jean Aurenche. Elenco: Fernandel, Françoise Rosay, Marie-Claire Olivia.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Um homem chamado Flor de Outono

um-homem-chamado-flor-de-outono

No dia 24 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Um homem chamado Flor de Outono, dirigido pelo cineasta espanhol Pedro Olea.

Sinopse

Barcelona dos anos 1920, homossexualidade, segredos e militância política se entrelaçam. Luís de Serracant, membro de família burguesa catalã, durante o dia atua como advogado engajado na defesa de operários presos pelo regime ditatorial de Primo de Rivera. À noite, entretanto, ele atua sob a alcunha de Flor de Outono, cantora popular em um cabaré. O filme gira em torno do mistério da morte de uma travesti e das atividades terroristas de Flor de Outono.

Un hombre llamado Flor de OtoñoUm homem chamado Flor de Outono. Espanha: 1978, 100 min, em espanhol, legendas em português. Direção: Pedro Olea. Roteiro: Rafael Azcona, Pedro Olea, baseado em peça homônima de José María Rodríguez Méndez. Elenco: José Sacristán, Francisco Algora, Carmen Carbonell.

Entrada franca.

Não recomendado para menores de 16 anos