A noite americana

A noite americana (François Truffaut, 1973)

6 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La nuit américaine (A noite americana). Direção: François Truffaut. Produção: Marcel Berbert. Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard, Suzanne Schiffman. Música: Georges Delerue. Fotografia: Pierre-William Glenn. Edição: Martine Barraqué, Yann Dedet. Design de produção, direção de arte: Damien Lanfranchi. Figurino: Monique Dury. Elenco: Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Dani, Alexandra Stewart, Jean-Pierre Aumont, Jean Champion, Jean-Pierre Léaud, François Truffaut, Nike Arrighi e outros.
― 1973, França, Itália. 1h 55min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Na França começam as filmagens do longa Je vous présente Pamela, que conta a história de uma jovem inglesa que troca o marido francês pelo sogro. Ferrand (François Truffaut) é o diretor, e tem que lidar com os mais diversos problemas que aparecem nos sets de filmagens, desde a depressão de um ator até o inusitado gato que não consegue atuar. Uma encantadora homenagem à arte de fazer cinema.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 A Noite Americana é um dos mais humanos e
interessantes filmes já realizados sobre o cinema.

Luiz Santiago

Críticas e comentários

Anúncios

O terceiro homem

O terceiro homem (Carol Reed, 1949)5 DE JULHO
terça-feira − 19h30

The Third Man (O terceiro homem). Direção: Carol Reed. Roteiro: Graham Greene. Elenco: Orson Welles, Joseph Cotten, Alida Valli, Trevor Howard, Bernard Lee e outros.
― Reino Unido, 1949. P&B, 1h 44min. Em inglês, alemão, russo, com legendas em português.

Após a Segunda Guerra Mundial, o escritor americano Holly Martins (Joseph Cotten) chega em Viena. Ele está em crise e sem dinheiro, mas seu velho amigo de escola Harry Lime (Orson Welles) havia lhe prometido ajuda. Holly tenta encontrar Harry, mas fica sabendo que ele foi atropelado e teve morte instantânea. Intrigado, o escritor decide fazer sua própria investigação sobre o misterioso passado do amigo e descobrir a verdade por trás de um véu de mentiras.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 

 Críticas e comentários

O longa captura em detalhes o clima de paranoia e confusão que marcou os primeiros anos do pós-guerra.
Rodrigo Carreiro

Joana d’Arc (1957)

joana-darc-Preminger

No dia 1º de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme Joana d’Arc, dirigido pelo austríaco Otto Preminger (1905–1986). 

«Tive vontade de acreditar!»

Joana d’Arc

Sinopse

França, século XV. A Guerra dos Cem Anos com a Inglaterra se estende desde 1337. Nesse cenário turbulento, a jovem camponesa Joana d’Arc, após ouvir vozes divinas, assume a missão de liderar o exército francês contra os invasores ingleses. Depois de vencer uma série de batalhas, Joana é traída por seus pares e entregue à Inquisição. Tem início um dos processos mais célebres da História.

 Saint Joan (Joana d’Arc). Estados Unidos, Reino Unido: 1957, 110 min, em inglês, com legendas em português. Direção: Otto Preminger. Roteiro: Graham Greene, baseado na peça de George Bernard Shaw. Elenco: Jean Seberg, Richard Widmark, Richard Todd, Anton Walbrook.

Entrada franca 

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 Leituras recomendadas