Acossado

 

Acossado (Jean Luc Godard, 1960)

21 mar.
quarta-feira, 19:30 — Centro Cultural de Brasília

À bout de souffle (Acossado). Direção: Jean Luc Godard. Produção: Georges de Beauregard. Roteiro: François Truffaut, Jean-Luc Godard, Claude Chabrol. Música: Martial Solal. Fotografia: Raoul Coutard. Edição: Cécile Decugis. . Elenco: Jean Seberg, Jean-Paul Belmondo, Daniel Boulanger, Henri-Jacques Huet, Roger Hanin e outros. ― 1960, França. 1h 30min. Em francês; inglês, com legendas em português.

Após roubar um carro, Michel mata um policial e busca refúgio nos braços de Patricia, estudante norte-americana que vive em Paris. Enquanto ele se esconde das autoridades e planeja fugir para a Itália, a relação dos dois se aprofunda.

Está na lista dos melhores filmes de todos os tempos do British Film Institute.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

 

Anúncios

Atirem no pianista

kinopoisk.ru

24 DE OUTUBRO
terça-feira − 19h30

Tirez sur le pianiste (Atirem no pianista). Direção: François Truffaut. Produção: Pierre Braunberger. Roteiro: François Truffaut, Marcel Moussy, baseado no romance Down There (1956), de David Goodis. Música: Georges Delerue. Fotografia: Raoul Coutard. Edição: Claudine Bouché, Cécile Decugis. Elenco: Charles Aznavour, Marie Dubois, Nicole Berger, Michèle Mercier, Serge Davri e outros.
― 1960, França. P&B, 1h 21min. Em francês, com legendas em português.

Após perder a esposa, o célebre pianista Edouard Saroyan abandona a carreira e passa a tocar em um bar, onde acaba reencontrando um de seus irmãos, que está envolvido com a máfia.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

 Críticas e comentários

 

 

A noite americana

A noite americana (François Truffaut, 1973)

6 DE SETEMBRO
quarta-feira − 19h30

La nuit américaine (A noite americana). Direção: François Truffaut. Produção: Marcel Berbert. Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard, Suzanne Schiffman. Música: Georges Delerue. Fotografia: Pierre-William Glenn. Edição: Martine Barraqué, Yann Dedet. Design de produção, direção de arte: Damien Lanfranchi. Figurino: Monique Dury. Elenco: Jacqueline Bisset, Valentina Cortese, Dani, Alexandra Stewart, Jean-Pierre Aumont, Jean Champion, Jean-Pierre Léaud, François Truffaut, Nike Arrighi e outros.
― 1973, França, Itália. 1h 55min. Em francês e inglês, com legendas em português.

Na França começam as filmagens do longa Je vous présente Pamela, que conta a história de uma jovem inglesa que troca o marido francês pelo sogro. Ferrand (François Truffaut) é o diretor, e tem que lidar com os mais diversos problemas que aparecem nos sets de filmagens, desde a depressão de um ator até o inusitado gato que não consegue atuar. Uma encantadora homenagem à arte de fazer cinema.

Não recomendado para menores de 12 (doze) anos

 A Noite Americana é um dos mais humanos e
interessantes filmes já realizados sobre o cinema.

Luiz Santiago

Críticas e comentários

Jeanne Moreau (1928–2017)

No mês de setembro, o Cine-Fórum apresenta três filmes com Jeanne Moreau (1928–2017), falecida recentemente. O filme A noite americana, de François Truffaut, abre a homenagem que prestamos à atriz e diretora Jeanne Moreau, considerada a grande dama do cinema francês.

 

Setembro

6 – A noite americana (François Truffaut, 1973)
13 – Falstaff (Orson Welles, 1965)
20 – A Baía dos Anjos (Jacques Demy, 1963)
27 – Nathalie Granger (Marguerite Duras, 1972)

 

Em setembro as sessões serão às
quartas-feiras, sempre às 19:30.

Beijos proibidos

Baisers volés (Beijos proibidos)

No dia 9 de junho, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Beijos proibidos, dirigido pelo cineasta francês François Truffaut (1932 – 1984).

Sinopse

Beijos proibidos é o terceiro filme protagonizado pelo personagem Antoine Doinel, o alterego do cineasta François Truffaut. Com o fim do serviço militar, Antoine Doinel procura um emprego e um amor em Paris. Depois de trabalhar como atendente noturno num hotel, passa a ser um detetive particular. Entre suas atrapalhadas investigações, vive um romance com a muito sensata Christine Darbon. Ao som da linda canção Que reste-t-il de nos amours, de Charles Trenet (1913 – 2001), Truffaut faz uma linda homenagem ao amor, com muita ternura e humor.

Baisers volés (Beijos proibidos). França: 1968. Direção: François Truffaut. Roteiro: François Truffaut, Claude de Givray, Bernard Revon, inspirado no romance Le Lys dans la vallée de Honoré de Balzac (1799 – 1850). Elenco: Jean-Pierre Léaud, Delphine Seyrig, Claude Jade, Michael Lonsdale, Harry-Max e outros. 90 min, em francês, com legendas em português.

Entrada franca

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários

Fahrenheit 451

Fahrenheit 451

No dia 23 de abril, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme Farenheit 451, do francês François Truffaut (1932 — 1984). A apresentação deste filme celebra o Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor.

«Aqueles que queimam livros, acabam cedo ou tarde por queimar homens.»

Heinrich Heine (1797 — 1856)

Sinopse

A obra-prima literária de Ray Bradbury (1920 — 2012) sobre um futuro sem livros ganha assustadora dimensão realística neste clássico filme dirigido por François Truffaut, um dos grandes inovadores do cinema de todos os tempos. Montag (Oskar Werner) é um bombeiro designado para queimar livros proibidos até conhecer uma revolucionária professora que se atreve em lê-los. De repente ele se vê como um fugitivo caçado, forçado a escolher não apenas entre duas mulheres, mas entre sua segurança pessoal e a liberdade intelectual. Primeira produção de Truffaut em língua inglesa, o filme é uma fábula extraordinária em que a própria raça humana se transforma no terror mais assustador.

Fahrenheit 451Fahrenheit 451 ― François Truffaut (1966) Reino Unido. Roteiro: François Truffaut, Jean-Louis Richard (baseado no romance homônimo de Ray Bradbury). Elenco: Oskar Werner, Julie Christie, Cyril Cusack. (112 min). Distribuidor: Universal Pictures. Idioma: Inglês, legendado em português.

ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras

  • Farenheit 451 ― Ray Bradbury. Tradução de Mário Henrique Leiria. Texto integral.

Trailer

https://www.youtube.com/watch?v=M1HZIy9rq1A

Os Incompreendidos

Os incompreendidos

No dia 26 de fevereiro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme Os incompreendidos, dirigido pelo francês François Truffaut. A sessão integra a programação sobre juventude, em sintonia com a Campanha da Fraternidade de 2013.

A grande qualidade da película é a maneira pela qual Truffaut consegue comunicar aos espectadores as realidades mais íntimas e autênticas de Antoine Doinel. Não há explicações. Nada é sublinhado, as experiências vividas não ultrapassam o mais medíocre cotidiano. É graças a um pontilhamento de instantes impossíveis de serem reduzidos a uma compreensão clara que penetramos no protagonista e na amargura que o possui.

Paulo Emílio Sales Gomes

Sinopse

Ninguém entende Antoine Doinel (Jean-Pierre Léaud). Em casa, ele é repreendido pelos pais. Na escola, causa problemas aos professores. A delinquência torna-se uma alternativa para o garoto. “Os Incompreendidos” simbolizou a desobediência às regras pregada pelo diretor francês François Truffaut (1932-1984) e seus amigos críticos de cinema. Este drama autobiográfico, feito nas ruas e longe das técnicas de estúdio, trouxe uma lufada de poesia para o cinema.

 Ao captar a energia rebelde da vida, o filme inaugurou a onda de modernidade da Nouvelle Vague.

Les quatre-cents coupsOs incompreendidos ― François Truffaut (1959) França. Roteiro: François Truffaut. Elenco: Jean-Pierre Léaud, Albert Rémy, Claire Maurier. (99 min, preto e branco)

ENTRADA FRANCA

Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas, análises e comentários

Trailer