Léon Morin, padre

Léon Morin, padre (Jean-Pierre Melville, 1961)

4 DE OUTUBRO
quarta-feira − 19h30

Léon Morin, prêtre (Léon Morin, padre). Direção: Jean-Pierre Melville. Produção: Georges de Beauregard, Carlo Ponti. Roteiro: Jean-Pierre Melville, adaptação do romance Léon Morin, prêtre (1952), de Béatrix Beck (1914-2008). Música: Martial Solal. Fotografia: Henri Decaë. Edição: Jacqueline Meppiel. Elenco: Jean-Paul Belmondo, Emmanuelle Riva, Irène Tunc, Nicole Mirel, Gisèle Grimm e outros.
― 1961, França, Itália. P&B, 1h 57min. Em francês, com legendas em português.

Interior da França, durante a ocupação alemã, na Segunda Grande Guerra. Barny ― uma jovem viúva que vive com a sua filha pequena e que é militante do partido comunista ― decide dirigir-se à paróquia e confrontar um padre com a ideia da inexistência de Deus. Contudo, a reação do padre não era aquela que ela imaginava e desta inquietação surge um forte relacionamento entre os dois.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

 

 Críticas e comentários

 

 

Anúncios

Hiroshima, meu amor

Hiroshima, mon amour (Alain Resnais, 1959)

No dia 2 de dezembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme Hiroshima, meu amor, dirigido pelo cineasta francês Alain Resnais (1922–2014).

Sinopse

Durante sua participação num filme sobre a paz, rodado em Hiroshima, uma atriz francesa tem uma aventura amorosa com um arquiteto japonês, o que reaviva nela lembranças de uma trágica paixão durante a ocupação nazista na França. Entre o passado de guerra e o presente de incertezas, ele e ela tentam tornar imortal este encontro fortuito, através da mistura de tempos, recordações e corpos.

Hiroshima, Mon Amour (Hiroshima, meu amor). França, Japão: 1959, 90 min, P&B, em francês, inglês, japonês, legendado em português. Direção: Alain Resnais. Roteiro: Marguerite Duras. Elenco: Emmanuelle Riva, Eiji Okada, Stella Dallas, Pierre Barbaud, Bernard Fresson.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

A liberdade é azul


A liberdade é azul

No dia 12 de novembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme A liberdade é azul, filme inaugural da Trilogia das Cores, do polonês Krzysztof Kieslowski (1941–1996).

A exibição de A liberdade é azul (1993) insere-se na retrospectiva histórica feita pelo Cine-Fórum CCB ao longo de 2013.

Sinopse

Ao acordar num hospital depois de um acidente, Julie fica sabendo que sua filha e seu marido Patrice morreram. No desespero, Julie procura se desfazer de tudo que lhe lembre o passado Aos poucos, reencontra a vontade de viver com Olivier a retomar o trabalho do marido. Julie sente de novo a dor da perda ao reabrir antigas feridas, mas, com Olivier ao seu lado, tem mais confiança em si e no futuro.

Trois couleurs: BleuA liberdade é azul ― Krzysztof Kieslowski (1993) França, Polônia, Suíça. Elenco: Juliette Binoche, Zbigniew Zamachowski, Julie Delpy. (98 min). Idioma: Francês, romeno, polonês, legendas em português.

ENTRADA FRANCA
Classificação indicativa

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Críticas e comentários