O solista

No dia 13 de março, às 19h30, o Cine-Fórum CCB apresenta o filme O solista, dirigido pelo britânico Joe Wright. Após a projeção, teremos os comentários da psicanalista Graça Barbosa.

O solista é o segundo filme da série de três sessões que o Cine-Fórum apresenta no mês de março em harmonia com a Campanha da Fraternidade de 2012, cujo tema é «Fraternidade e Saúde Pública», com o lema «Que a saúde se difunda sobre a terra».

Uma das reflexões à qual O solista nos conduz, ou nos propicia, refere-se à humanização da prática e dos cuidados no âmbito da saúde. Buscar acolher incondicionalmente o outro como mistério e como dom.

«Humanizar é compreender os outros em sua totalidade. Um doente não se resume à doença, antes é um ser humano digno de atenção e respeito.»

Costa, Anjos, Zaher (2007)

Na sessão do dia 20 de março, teremos o filme mexicano Maus Hábitos (Simón Bross, 2007), com comentários do médico de família e comunidade Ricardo Januzzi.

Sinopse

História real de uma amizade que cresceu entre muitas diferenças. Nathaniel Anthony Ayers (Jamie Foxx) é um ex-estudante da famosa escola de artes Juilliard, de Nova York, e um verdadeiro prodígio da música clássica. Esquizofrênico e sem-teto, ele passa os dias tocando violino e violoncelo nas ruas do centro de Los Angeles. O Jornalista Steve Lopez (Robert Downey Jr.), que sempre está em busca de histórias interessantes para sua coluna diária do Los Angeles Times, descobre por acaso o talento de Nathaniel. Decidido a conhecer mais da história do músico, Lopez vai tentar ajudá-lo a realizar seus sonhos e a reencontrar seu caminho. Envolvidos por essa amizade, os dois transformarão mutuamente suas vidas.

The Soloist • O solista ― Joe Wright (2009) Reino Unido; Estados Unidos; França. Elenco: Jamie Foxx, Robert Downey Jr., Catherine Keener, Tom Hollander. (117 min)

Classificação indicativa
Não recomendado para menores de 12 anos

Críticas, comentários, trilha sonora…

Textos sobre bioética

Trailer

Anúncios

2 comentários sobre “O solista

  1. Foi maravilhoso mesmo! Que filme profundo, sensível, dramático. Pena que não tivemos mais tempo pra partilhar as marcas que ficaram na alma. Trabalho numa equeipe Saude da família (ESF) sem São Sebastiao, única regional que possui uma equipe de matriciamento em saude mental. Essa equipe é composta por psiquiatra e psicólogo, discutindo casos e apoiando o cuidado continuado pelo médico, enfermeiro e os agentes comunitários da comunidade. Temos ótimos resultados, com diminuição do número de internacoes e humanização do atendimento / acompanhamento. Na minha opinião essa é uma das melhores alternativas pra Saude mental no DF. Abraços e ate dia 20! Eu comentarei o próximo filme, dando continuidade na discussão da complexidade dos transtornos alimentares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s