César deve morrer

cesare-deve-morire-taviani

No dia 2 de setembro, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme César deve morrer, dirigido pelos cineastas italianos Paolo e Vittorio Taviani.

Sinopse

Um drama dentro de outro drama. Os irmãos Taviani registraram um trabalho artístico realizado dentro da prisão de Rebibbia, em Roma. Os internos do presídio prepararam uma encenação da peça Júlio César, de William Shakespeare. E, da mesma forma como é feito no ambiente profissional do teatro, os participantes agiram como uma verdadeira equipe de produção e realizaram testes para escolher o elenco, ensaios complexos, e trabalharam muito para apresentar a peça no palco dentro da instituição penal.

Cesare deve morire (César deve morrer). Itália: 2012, 76 min, em italiano, com legendas em português. Direção: Paolo Taviani, Vittorio Taviani. Roteiro: Paolo Taviani, Vittorio Taviani, a partir da peça Júlio César, de William Shakespeare. Elenco: Cosimo Rega, Salvatore Striano, Giovanni Arcuri, Antonio Frasca.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

A fraternidade é vermelha

A fraternidade é vermelha (Krysztof Kieslowski, 1994)

No dia 26 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A fraternidade é vermelha, dirigido pelo cineasta polonês Krzysztof Kieslowski (1941–1996).

Sinopse

Valentina está dirigindo seu carro de volta para casa, quando atropela algo em seu caminho. Ao descer do veículo, encontra uma cachorrinha ferida, com o endereço de seu dono na coleira. É assim que ela fica conhecendo a pessoa que iria alterar o curso de sua vida – um juiz aposentado, que termina seus dias espionando as conversas telefônicas de seus vizinhos. Por trás deste estranho comportamento, está o enigma de um homem cujo motivo vital é tomar posse da intimidade daquelas pessoas e acompanhar passo a passo o desenrolar de seus destinos. Um oceano de possibilidades coloca-se, então, à frente de Valentine e ela se vê prestes a mergulhar num lugar assustador, em que todas as regras podem ser quebradas para que os homens venham se comunicar.

Trois couleurs: Rouge (A fraternidade é vermelha). França; Suíça; Polônia: 1994, 99 min, em francês. Direção: Krzysztof Kieslowski. Roteiro: Krzysztof Kieslowski, Krzysztof Piesiewicz. Elenco: Irène Jacob, Jean-Louis Trintignant, Frédérique Feder.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras indicadas

A igualdade é branca

A igualdade é branca (Krysztof Kieslowski, 1994)

No dia 19 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (Jesuítas) apresenta o filme A igualdade é branca, dirigido pelo cineasta polonês Krzysztof Kieslowski (1941–1996).

Sinopse

Um homem polonês sente-se humilhado pela mulher francesa na ação de divórcio. Ela alega que o marido era impotente e o casamento não havia se consumado. De volta à Polônia, ele transforma-se num próspero comerciante e não abandona seu desejo de vingança contra a ex-mulher. Com a ajuda de um amigo, encena a própria morte e manda chamar a mulher para herdar sua herança. Quando ela chega, sem conhecer a língua local, acaba sendo acusada do assassinato do ex-marido.

Trois couleurs: Blanc (A igualdade é branca). França; Suíça; Polônia: 1994, 91 min, em francês, polonês, inglês, russo. Direção: Krzysztof Kieslowski. Roteiro: Krzysztof Kieslowski, Krzysztof Piesiewicz. Elenco: Zbigniew Zamachowski, Julie Delpy, Janusz Gajos.

Entrada franca.

Não recomendada para menores de 14 (quatorze) anos

Leituras indicadas

O ano em que meus pais saíram de férias

O ano em que meus pais saíram de férias (Cao Hamburger. 2006)

No dia 12 de agosto, terça-feira, às 19h30, o Cine-Fórum CCB (jesuítas) apresenta o filme O ano em que meus pais saíram de férias, dirigido pelo brasileiro Cao Hamburger.

Sinopse

Em 1970, o Brasil e o mundo parecem estar de cabeça para baixo, mas a maior preocupação na vida de Mauro, um garoto de 12 anos, tem pouco a ver com a ditadura militar que impera no País, seu maior sonho é ver o Brasil tricampeão mundial de futebol. De repente, ele é separado dos pais e obrigado a se adaptar a uma diferente e divertida comunidade ― o Bom Retiro, bairro de São Paulo, que abriga judeus, italianos, entre outras culturas. Uma história emocionante de superação e solidariedade.

O ano em que meus pais saíram de férias ― Cao Hamburger (2006) Brasil. Elenco: Michel Joelsas, Germano Haiut, Daniela Piepszyk, Caio Blat, Paulo Autran. (104 min). Distribuidor: Buena Vista International. Idioma: Português, yiddish, hebraico.

ENTRADA FRANCA
Classificação indicativa

Não recomendado para menores de 10 anos.

 Comentários

Cinema, justiça e paz.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 652 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: